Cientista admite outra data dos escritos bíblicos hebraicos

Cientista admite outra data dos escritos bíblicos hebraicos

Atualizado: Quinta-feira, 9 Dezembro de 2010 as 12:33

Gershon Galil, do Departamento de Estudos Bíblicos da Universidade de Estudos Bíblicos da Universidade de Haifa (Israel), decifrou uma inscrição do séc. X a.C, demonstrando que é o texto hebraico mais antigo que se conhece.

A inscrição, com tinta, sobre um pedaço de cerâmica de 15 cmx16,5 cm, foi descoberta durante as escavações feitas pelo professor Yosef Garfinkel, em Khirbert Qeiyafa, próximo do vale de Elah. Já naquela época se afirmou que o material era do século X, período do rei David, mas permaneceu a dúvida em relação à língua usada: se era o hebraico ou qualquer outra local.

A decifração do antigo escrito pelo professor Galil prova que a língua é o hebraico. Tal afirmação baseia-se no uso dos verbos do próprio hebraico e também no conteúdo específico da cultura hebraica. Não adoptado por nenhuma outra cultura na região, são usados verbos típicos do hebraico como “asah” (passado do fazer) e “avad” (passado de trabalhar), raramente utilizados nas línguas da região. O texto decifrado tem o seguinte conteúdo: 1. Não farás, mas venerarás o Senhor, 2. Julga o escravo e a viúva/Julga o órfão; 3. e o estrangeiro. Intercede pela criança/intercede pelo pobre, 4. e a viúva. Coloca o pobre nas mãos do rei, 5. Protege o pobre e o escravo/Conforta o estrangeiro.

O professor Gallil acrescentou que, se a sua interpretação for aceite, a inscrição vai tornar-se a mais antiga até agora encontrada e provar a existência da escrita hebraica já no século X antes de Cristo. Isso contrasta com as pesquisas actuais sobre a datação dos textos bíblicos, que não contempla a possibilidade de a Bíblia, ou parte dela, poder ter sido escrita naquele período.

veja também