Clamor pela família marca a "Reunião do Encontro com Deus"

Clamor pela família marca a "Reunião do Encontro com Deus"

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 9:23

No domingo, 05/12, no Templo Maior de Goiânia (GO), localizado à Avenida Goiás, 1449, centro, o pastor Marcio Carotti, responsável evangelístico do estado, realizou a concentração de fé e fez um forte clamor pela família.

Além das orações, o pastor citou o seguinte trecho bíblico: “Traze-me aqui a estola sacerdotal. Então, consultou Davi ao Senhor, dizendo: Perseguirei eu o bando? Alcançá-lo-ei? Respondeu-lhe o Senhor: Persegue-o, porque, de fato, o alcançarás e tudo libertará”. (1 Sam. 30-7-8). Baseado nesses versículos, ele ensinou a respeito da importância de não esmorecer na fé e ficar sempre firme na presença de Deus. "Assim como Davi, todos nós temos que pedir a direção para Deus, pois se a pessoa tiver fé, Deus a conduzirá para o caminho correto”, explicou.

Direção que  Wellington Franco Martins, de 36 anos, e Carla Alves Oliveira Martins, de 31, receberam de Deus para por um fim a vida marcada pelos problemas de saúde, infelicidade amorosa e vícios.

Há 15 anos na Igreja Universal, Wellington conta que chegou à Igreja em busca da cura de uma doença que o atormentava: a epilepsia. “Com uma semana frequentando as reuniões parei de tomar remédios e não tive mais os ataques epilépticos”, lembra. Além da doença, ele revela que se sentia muito só, pois não conseguia encontrar alguém pra manter um relacionamento sério. “Eu me sentia muito só e sonhava em encontrar uma mulher de Deus, para me casar”, diz.

Já Carla conta que começou a participar da Igreja a  convite de uma tia, há aproximadamente 6 anos, pois não aguentava mais a vida sofrida que vivia. Ela relata que consumia muita bebida alcoólica, usava drogas e se prostituía. “Sempre que eu arranjava namorado, eu logo pensava em traí-lo”, destaca. Além de todo esse comportamento, Carla tinha um desejo de morrer. “Eu vivia perturbada e depressiva, só pensava em morrer”, lembra.

Diante do sofrimento que vivia, Carla encontrou nas reuniões da Igreja uma esperança para a mudança de vida e, com o passar dos meses, o desejo que ela tinha de morrer cessou. Mas, a felicidade completa veio quando Carla conheceu Wellington e se casou com ele. “Eu tive que me libertar do medo que sentia de ser traída, mas com as orações recebidas aos domingos me tornei outra pessoa. Faz um ano e meio que nos casamos e vivemos uma vida feliz na Presença de Deus”, finaliza.

Por Rúbia Oliveira

veja também