Clérigos implacáveis

Clérigos implacáveis

Atualizado: Sexta-feira, 31 Maio de 2013 as 8:42

julgamentoVocê já imaginou um clérigo colocando ou permitindo que um de seus auxiliares coloque suas ovelhas na justiça. Seja para subtrair dele alguns trocados, para se vingar ou para fazer com que se cale.
 
A forma mais correta de fechar uma boca acusadora é provando através da sua vida que você não é nada daquilo que ele diz. Apascentar não é imunizar os bodes, mas defender as ovelhas.
 
Recorrer ao tribunal humano é se aproveitar da sua posição de liderança e revelar total falta de recurso espiritual, atitude totalmente reprovável para pastores e líderes de departamentos. Dar vazão a ira e a impulsos carnais como intimidar, pressionar, fazer ameaças jurídicas e retaliar, são atitudes profundamente carnais. A Bíblia chama a isto de Concupiscencias carnais.
 
Impróprio para um ambiente cuja maior característica deveria ser o suportar uns aos outros, o cultivar a longanimidade, praticar o amor e a misericórdia.
 
Isto é andar na contramão da verdadeira Igreja, que trata, ao invés de prender, da a mão ao invés de empurrar. É misericórdia que Deus quer e não sacrifícios litúrgicos e belos discursos dominicais. As maiores oportunidades para a pratica do amor é quando o nosso perseguidor é bipolar, paranóico ou vitima de outros transtornos mentais. Amar quem nos trata bem, qualquer um pode fazer.
 
Leia o texto a seguir e adote esta reação:
 
1Pd 2:11,12: Amados, exorto- vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma, mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação.
 
É só fazer o que a Bíblia diz.
 
 
- Ubirajara Crespo
 

veja também