Coleção: Os cisnes não estão silenciosos

Coleção: Os cisnes não estão silenciosos

Atualizado: Terça-feira, 4 Outubro de 2011 as 11:20

Aos 71 anos de idade, quatro anos antes de morrer no dia 28 de agosto de 430, Aurélio Agostinho passou ao seu assistente Eraclius os deveres administrativos da Igreja de Hipona, localizada na costa norte da África. Em sua época, Agostinho já era um gigante no mundo cristão. Na cerimônia, Eraclius levantou- se para pregar, tendo atrás de si o velho Agostinho assentado em seu trono de bispo. Tomado por um forte sentimento de inadequação na presença de Agostinho, Eraclius disse: "O grilo canta, o cisne está silencioso".

Se Eraclius pudesse imaginar a enorme influência de Agostinho dezesseis séculos depois, entenderia por que esta série de livros, composta por O legado da alegria soberana, O sorriso escondido de Deus e Completando as aflições de Cristo, é intitulada "Os cisnes não estão silenciosos". Por muitos anos, tanto Agostinho, como Lutero, Calvino, John Bunyan, William Cowper, David Brainerd, William Tyndale, Adoniram Judson e John Paton, não se mantiveram silenciosos. Ao contrário, suas vozes continuam ecoando através da história, causando impacto na vida de todos aqueles que se dispõem a ouvi-las.

veja também