Colportores plantarão 40 igrejas no sul do país

Colportores plantarão 40 igrejas no sul do país

Atualizado: Terça-feira, 15 Fevereiro de 2011 as 10:26

Era só para se encontrar, descansar e ouvir instruções de trabalho, mas o concílio de publicações da União Sul-Brasileira, de 6 a 9 de fevereiro, foi muito além disto. Com 318 colportores efetivos representando Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, os líderes presenciaram mais que bons vendedores. "Vi muitas novidades interessantes que cada Campo trouxe, mas me impressionou o notável envolvimento do Ministério de Publicações com o programa missionário da Igreja", comentou o pastor João Vicente Pereyra, gerente de vendas da Casa Publicadora Brasileira.

Entender que este ministério é integrado à Igreja faz parte do programa inculcado em cada colportor do Sul. A padronização nos procedimentos técnicos também é outra vantagem que coloca o território em destaque mundial no volume de vendas e no número de publicações distribuídas a cada ano. Talvez por isto seja constante o reconhecimento aos pioneiros desta missão e a valorização dos veteranos que convivem e ensinam os mais jovens dando prosseguimento a uma verdadeira escola. As premiações e homenagens, aliás, foram um dos pontos altos do encontro que aconteceu no Catre, em Santa Catarina.

Campeões em vendas, os colportores premiados deixaram claro que nada além de trabalho dedicado e comunhão com Deus faz o sucesso na área. Os assistentes também foram homenageados e declararam ter delineado o perfil do colportor de sucesso na tríade: equilíbrio financeiro, espiritual e profissional. A noite de gala também aplaudiu os missionários, que mais trouxeram pessoas para a igreja através do seu trabalho e exemplo. Alberto Selmer, colportor no Paraná, se emocionou com as homenagens e se inspirou nos colegas. "Ouvir estas histórias e vivenciar o testemunho vivo nos faz sair daqui renovados", afirmou.

Além das reuniões de cada Associação separadamente, o evento juntou os colportores para traçar os desafios para os próximos meses. Uma das decisões é dedicar todo o lucro das vendas num dia do ano - incluindo colportores efetivos e estudantes - para o projeto Templos de Esperança. "Com esta decisão somada ao trabalho dos estudantes, pretendemos construir 40 igrejas nos próximos cinco anos, fruto direto do envolvimento dos colportores da USB", explicou o pastor Geraldo Magela Tostes, diretor de publicações da União Sul.

Maria Berger, colportora em Santa Catarina, aprovou o empenho. "Trabalhar para Deus é uma benção indescritível e eu pretendo morrer trabalhando pra Ele na colportagem", emocionou-se. E emoção mesmo foi o momento de leitura do documento de Reavivamento e Reforma. "A leitura foi feita alternadamente pelos diretores de Publicações, uma demonstração de que as grandes transformações iniciam primeiro na vida dos líderes", enfatizou o pastor Almir Marroni, diretor de publicações da Divisão Sul-Americana.

"Aqui encontramos o ambiente perfeito para o descanso do trabalho e ao mesmo mente para a motivação para ele. Uma motivação espiritual por saber estar fazendo o que há de mais nobre", resumiu Clenilton Quirino, colportor gaúcho que aproveitou cada uma das mensagens do pastor Elmar Borges, diretor de Jovens da USB e capelão do concílio. Para o presidente da União, pastor Marlinton Lopes, "a mensagem pregada através das páginas impressas é uma das mais louváveis, pois continua falando, mesmo quando o missionário já deixou a casa e, às vezes, a cidade. São arautos da verdade que devem estar em cada residência do nosso território", explicou Lopes.

veja também