"Confessar Cristo é o único caminho", diz ex-detento do MA

"Confessar Cristo é o único caminho", diz ex-detento de Pedrinhas (MA)

Atualizado: Quarta-feira, 22 Janeiro de 2014 as 7

"Confessar Cristo é o único caminho", diz ex-detento do MAEm novembro de 2013, Marcelo Jorge Araújo Rodrigues saiu do presídio de Pedrinhas, em São Luiz (MA). Atualmente o local tem sido palco de cenas tenebrosas, como decapitações e 62 mortes nos últimos 12 meses. 
 
Ex-detento e agora, pastor, Marcelo falou em entrevista à BBC Brasil sobre o seu testemunho de vida e comentou as rebeliões que enfrentou naquela casa de detenção.
 
Quando questionado sobre como se sentiu ao receber a liberdade condicional de sua segunda detenção, Rodrigues supreendeu: "Fiquei triste".
 
Marcelo explicou que pouco antes de ser capturado pela segunda vez, já havia se tornado pastor e não deixou de compartilhar a Palavra de Deus, mesmo estando preso.
 
"Saí e senti saudades dos irmãos que ficaram lá presos, a quem pregava, que me escutavam. Aquilo tudo foi muito doído", contou.
 
Explicando melhor sua história, o pastor contou que na primeira vez que saiu da prisão, o fez pelo indulto de natal, em 2008. Estando preso por assalto desde 2005, o pai de sete filhos decidiu não voltar mais à casa de detenção.
 
Segundo crime
Com pouco tempo como procurado pela polícia (Forgagido), Marcelo estava prestes a cometer outro crime. Sob efeito de drogas, esfaqueou o próprio sogro até a morte.
 
"Estava drogado, só fiquei sabendo o que tinha feito no dia seguinte", disse.
 
Apesar do assassinato cometido, Rodrigues não foi encontrado pela polícia e continuou "livre". Porém tomou uma decisão que, segundo ele, mudou o rumo de sua vida: converteu-se ao evangelho.
 
Ao comentar o que o motivou a tomar tal decisão, Marcelo destacou que não aguentava mais viver na criminalidade.
 
"Por cansaço da vida do crime, por não compensar e não valer nada. E o chamado de Deus", explicou.
 
Logo depois, Rodrigues abriu sua igreja - chamada "Fogo Puro" - em uma casinha de madeira, sob uma ponte que cruza o rio Anil, na favela do Jacarati.
 
O pastor contou que ao se tornar pastor (2009), mudou completamente o rumo de uma vida de criminalidade que já o acompanhava desde os 12 anos de idade, quando começou a se envolver com uma gangue.
 
Rebelião
Marcelo enfrentou sua primeira rebelião em Pedrinhas, logo no ano em que foi preso (2005).
 
"Naquele momento, o medo não é dos detentos: o medo é a polícia invadir e matar todo mundo, como no Carandiru", contou.
 
Conversão
Em março de 2013 - com sua igreja já construída - Rodrigues foi capturado novamente pela polícia, pois era procurado por sua fuga da prisão em 2008 e o posterior assassinato de seu sogro.
 
Apesar de confessar que rejeitava a possibilidade de se entregar à polícia, Marcelo foi obrigado a retonar à casa de denteção.
 
Rodrigues relatou que em sua segunda passagem por Pedrinhas, mais de 30 presos ouviram suas pregações e se converteram.
 
"Confessar Cristo é o único caminho se o homem decide sair de uma facção ou outra", declarou.
 
Caso seja condenado e tenha de voltar, o pastor lembrou que está "preparado para voltar como um homem de Deus para pregar a palavra, sem medo".
 
Com informações da BBC Brasil

Imagem: BBC Brasil

veja também