Congresso Infantil aborda temas como pedagogia dentro da igreja

Congresso Infantil aborda temas como pedagogia dentro da igreja

Atualizado: Quinta-feira, 6 Maio de 2010 as 11:28

Aconteceu de 30 de abril a 02 de maio de 2010, mais um Congresso Infantil "Pequenos Passos", organizado pela Secretaria Nacional da UCP (União de Crianças Presbiterianas), com a direção do Rev. Jáder Borges, Secretario Geral.

Este ano o evento foi realizado na Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro (Catedral), com o caloroso acolhimento do Rev. Guilhermino Cunha, pastor efetivo da igreja e presidente do Sínodo do Rio de Janeiro.

Estiveram presentes 280 congressistas, que participaram dos cultos e oficinas oferecidos. No domingo, 2 de maio, foi realizado culto às 8hs e às 10:15hs, com a participação dos congressistas e dos membros da igreja, com a Celebração da Ceia do Senhor, em uma cerimônia solene em comunhão e alegria, mesmo com a superlotação do templo.O Rev. Jáder Borges disse que tinha uma obrigação histórica em realizar o Congresso "Pequenos Passos" no Rio de Janeiro, porque foi ali que começou toda a história da Igreja Presbiteriana do Brasil e, por isso, com este congresso a Secretaria está encerrando o quadriênio.

Ele falou da importância de um bom treinamento para pessoas que trabalham com crianças, pois, reconhece que aqueles que atuam se doam muito, e também precisam receber para se reabastecer, ter mais ânimo e coragem para seguir adiante.

Para o Rev. é extremamente importante conhecer e incentivar as pessoas que se dedicam a este ministério infantil. "Eu nunca tinha trabalhado de maneira intensa e concreta com o departamento infantil. Quando recebi este desafio tomei o propósito de ir ao departamento infantil e visitei sala por sala, ouvindo os professores e as crianças. Por isso eu gostaria de falar aos meus colegas pastores, que acompanhem, reconheçam e valorizem os trabalhos dos professores, e faça isso na frente dos alunos, para mostrar à eles que o professor é querido e faz parte da vida deles e da igreja. Isso pra mim é vital, eu tenho outra visão agora, depois que tomei essa atitude" defendeu Rev. Jáder.

Neste quadriênio, que está chegando ao fim, a Secretaria Nacional das UCP's realizou vários Spot's (um dia de treinamento e capacitação, com oficinas específicas) e Congressos "Primeiros Passos", com o apoio das igrejas locais."Temos recebido subsídio da nossa Igreja Mãe, por intermédio do Supremo Concilio e dos Sínodos. Temos trabalhado federativamente, mas em unidade, e temos recebido verbas para que possamos subsidiar boa parte dos custos para que, assim, o valor saia o mais baixo possível para os nossos congressistas. Se a igreja é fiel nos dízimos ao Supremo Concílio, ele retorna em beneficio. Por isso agradecemos aos pastores, conselhos e pessoas que têm apoiado estes eventos" expressou o Rev.Jáder.

Durante a entrevista, Rev. Jader citou um exemplo que o marcou durante sua estada na Alemanha, enquanto aprendia uma nova língua. Ele contou que errava muito e, por não acertar com facilidade, usava muito a borracha para apagar. "Eu olhei pra borracha e vi que tinha uma coisa escrita nela, 'eu me gasto por ti'. Quem se desgastava para eu acertar era a borracha. Quando eu errava, ela entrava em ação, visando que eu aceitasse. No Reino de Deus também devemos ser como a borracha que se gasta para ajudar os outros a acertar, ou, então, seremos crente enferrujados, apenas sentados no banco da igreja. Se alguém acertar na vida e com Deus, que benção vai ser", concluiu.

A oficina de Currículo da EBD (Escola Bíblica Dominical) entre outras importantes aulas, foi ministradas por Márcia Barbutti Barreto, editora assistente, responsável pelo currículo das revistas de Escola Dominical para crianças e adolescentes, publicados pela CEP (Casa Editora Presbiteriana).

Para ela, quem trabalha com criança precisa sempre de treinamento, e aperfeiçoamentos de seus dons. “Aqui no “Pequenos Passos” temos tarefas que conseguem abranger praticamente tudo que é necessário para o departamento, entre técnicas, montagens, brincadeiras, EBFs e outros, definiu.

Ao se referir especificamente à oficina que ela dirige, explicou a necessidade de um treinamento nessa área: “É importante que as pessoas entendam como foi elaborado o currículo da CEP, e o porquê de rever um currículo, que é o plano de ação, caso seja necessário.”

O congresso não está dirigido somente a pessoas que já estão trabalhando com o departamento infantil, mas também para aqueles que tenham algum interesse em fazê-lo futuramente. “É muito importante, por exemplo, que presbíteros, pastores, pessoas do conselho participem para poder entender o departamento e apoiar”, defende Márcia.

A editora também falou um pouco sobre o trabalho de reformulação e da nova proposta de Currículo que a CEP oferece, e contou que em 2008 foi feita uma pesquisa em várias regiões do Brasil em que foram detectadas as principais necessidades das igrejas, o que levou a reformular toda a matriz curricular.

"Atualmente as nossas revistas são acompanhadas de um kit visual que possuem 24 folhas, figuras para montar cenas, fazer cartazes e um material de acompanhamento para os pais", disse Márcia.Para ela é fundamental que professores façam uso do material que é produzido pela CEP, por se tratar de um conteúdo com teologia reformada, que é a base da fé presbiteriana.

Existem na igreja diferentes formas de servir e trabalhar. Para Márcia, esse serviço é para Deus, o que não se caracteriza um trabalho voluntário, pois, na visão dela, quem faz este trabalho o faz como servo, e é Deus quem o capacita. "No caso de trabalho voluntário, se surgem dificuldades como falta de tempo ou dinheiro, qual é a primeira coisa que se tira? O próprio trabalho voluntário. Só que na igreja nós não somos voluntários. Não é porque eu não recebo um salário que eu sou voluntário. Eu tenho um patrão. O meu patrão não é o superintendente, não é a diretora do departamento, nem mesmo o pastor. O meu patrão é o Senhor Deus. Não posso enterrar meu talento, eu tenho que render juros dele. Você tem um patrão justo, e que cobra, mas também te capacita para desenvolver um trabalho. Não te deixa sozinho. Nós somos servos do Senhor", concluiu Márcia Barbutti.

Abigail Santos ofereceu a oficina “Berçário é coisa séria” e disse que, geralmente, as pessoas têm a idéia de que a criança nessa idade não vai aprender, por isso, a oficina serve para demonstrar o quanto o mundo explora essa imaginação dos bebês, e que nós, muitas vezes, deixamos uma lacuna muito grande nessa idade.

Para ela o treinamento é indispensável porque existem técnicas, abordagens e oportunidades, que precisam ser aprendidas e praticadas.

No caso dos bebês, o importante para ensinar é o ambiente em que ele está, e com tudo o que tem na sala, e com a postura da professora, com a expressão do corpo e da voz, principalmente com o amor que o bebê recebe, pois, segundo ela, nessa faixa o ensino é totalmente por meio da emoção.

"As pessoas que trabalham com berçário precisam investir em conhecimento e leituras, para saber como a mente das crianças funcionam e, para tanto, não podem ter medo de investir financeiramente. Abram as mãos, o coração e a visão da igreja para cuidar dessa faixa etária, pois, tem deixado muito a desejar em nossas igrejas", defendeu Abigail.

Renata Vargas ministrou a oficina “Crianças entre 6 e 10 anos, um período fantástico da vida”, e falou que para essa faixa etária não há muito estudo, daí a importância em se estabelecer bons treinamentos.

"Na oficina eu mostro as necessidades e as carências dessa fase e isso ajuda a esclarecer as dificuldades para trabalhar com ela", afirmou Renata.

Rev. José Roberto ministrou a oficina "Acampamento e Acampadentro", e disse ter ficado surpreso com o retorno, pois, não imaginava que as pessoas estivessem tão sedentas dessas informações sobre acampamentos, especialmente para crianças. “Gostaria de falar aos meus colegas, sejam eles presbíteros ou pastores, que essa é uma oportunidade ímpar de investimento na vida das lideranças do departamento infantil.

"É uma oportunidade que tem surgido para nossa igreja, a igreja Presbiteriana, e tenho certeza de que as pessoas que participaram terão muito a oferecer, à igreja, às crianças e às famílias que fazem parte da sua igreja", encorajou Rev. José Roberto.

Rogério Teixeira, que ministrou a oficina "Criatividade e produção de idéias" falou que um dos objetivos deste seminário é quebrar o mito de “eu não sou criativo”, defendendo que todos podem ser criativos, porque somos criaturas de Deus.

Rogério reconhece que a IPB tem uma preocupação com o aspecto pedagógico dentro da igreja, por isso a necessidade de capacitação permanente.

"A pedagogia tem múltiplas formas de abordar assuntos usando o abstrato e o concreto, respeitando as faixas etárias, e nosso congresso tem esse cuidado. Ele relembra que cada região tem sua particularidade, o que se pode perceber muito bem nas diferentes regiões onde o Congresso já foi ministrado. “Essa diferença regional tem que ser respeitada, e o mais importante neste evento, é que você tem a oportunidade de ensinar e aprender", manifestou Rogério.

Para facilitar a participação dos interessados, o Congresso é realizado todos os anos em diferentes regiões, assim como ocorreu nesses dias no Rio de Janeiro. Nesta edição, 17 oficinas estiveram à disposição dos participantes, e cada pessoa teve a oportunidade de escolher e participar de duas.

De acordo com o Rev. Jader, a Secretaria Nacional de UCP's realiza, além do Congresso, SPOT´s sempre que o Presbitério ou o Sínodo solicita. Para solicitar as oficinas oferecidas basta entrar em contato no site da UCP www.ipb.org.br/ucp/ . Para Rogério, quem não participou perdeu uma grande oportunidade, mas ainda pode e deve participar, além de pedir ajuda a Deus, porque é Ele que atribui talento às pessoas, e talentos específicos. "Quando a gente junta todos esses talentos a gente constrói coisas incríveis, pois, nos tornamos não só um corpo, mas um organismo vivo e cada membro atuante se sente melhor" finalizou Rogério.

Um dos momentos mais emocionantes do Congresso foi a homenagem à Sra. Custódia Scultori, carinhosamente chamada de "Tia Custodia", oferecida pela Secretaria Nacional das UCP's por seus 60 anos de trabalho junto à infância da Igreja Presbiteriana do Brasil. O certificado desse anos de serviço, foi entregue no culto de domingo pelo Rev. Jader Borges, Secretário Geral.

veja também