Convertido, atacante do São Raimundo, conta seu testemunho

Convertido, atacante do São Raimundo, conta seu testemunho

Atualizado: Segunda-feira, 2 Maio de 2011 as 4:36

Alessandro, ou melhor, Nando, tem encontrado na religião um novo sentido para a vida e frequenta o culto com a família.

O relógio marcava 19h30 na quinta-feira quando adentra no templo do Ministério Internacional da Restauração, Santo Agostinho, zona Oeste, uma figura de estatura mediana, expressão serena, blusa de punho, gel no cabelo e sua indefectível costeleta.

Alessandro Libório Vieira, de 33 anos, conhecido como Nando, atacante do São Raimundo, estava ali com a bíblia debaixo do braço para mais um dia de exercício da fé. Convertido desde 2009 àquela congregação neopentecostal , Alessandro, ou melhor, Nando, tem encontrado na religião um novo sentido para a vida. “Em primeiro lugar DEUS. Em segundo, a família. Depois, sim, vem o São Raimundo”, define.

Nando é mais um na multidão de adeptos da Igreja da Restauração, comandada no Amazonas pelo apóstolo René Araújo Terra Nova. Ele frequenta reuniões e cultos, além de cumprir agendas especiais, como seminários e encontros da congregação, com o mesmo entusiasmo com o qual busca o gol dos times adversários “Hoje me considero um atleta de Cristo”.

No entanto, antes de chegar à Igreja, Nando viveu o próprio inferno. O período de rebaixamento do Rio Negro, time que defendia em 2008, o bolo da diretoria do clube que não pagou os jogadores na época, a separação da esposa Elaine, todos esses eventos levaram Nando ao esquema mundano, de noitadas, bebedeiras e uso de maconha. “Eu era farrista: onde tinha festa, mulher, bebida e droga eu estava lá. Mas para honra e glória do Senhor isso não faz mais parte da minha vida”, garante o atacante.

Além gastar boa parte do tempo se debruçando sobre os ensinamentos bíblicos, Nando está em um processo de fortalecimento da relação com Elaine, que trabalha como esteticista e cabeleireira. A Igreja tem ajudado o casal a refazer o relacionamento, fundamentado nos preceitos religiosos. Ambos devem casar com a unção dos pastores até o fim deste ano. “A gente conversa bastante com os nossos discipuladores. Estamos em reatamento da relação. Todo o tempo que se levará para isso é o tempo do Senhor”, afirma o jogador, pai de Alessandra Eduarda, de sete anos, Marcos Yan, de nove, e Iago, de 13.

Após conversar com o CRAQUE, Nando entrou no templo para participar das orações juntamente com familiares. Os hinários e súplicas comandados pelo apóstolo o faziam entrar numa espécie de transe. Ele orava de olhos fechados a balbuciar palavras quase que num choro.

veja também