Coral Gospel americano protesta contra Obama por causa do derramamento de petróleo

Coral Gospel americano protesta contra Obama por causa do derramamento de petróleo

Atualizado: Quinta-feira, 17 Junho de 2010 as 1:48

O caso de derramento de óleo nos Estados Unidos está preocupando a população americana, que espera um milagre para conter a mancha que se espalhar pelo golfo do México. O ocorrido é o maior desastre ecológico na história do país.

Na última terça-feira, 15, o grupo "Prece no Surtidor", composto por cerca de 50 pessoas cantou uma música gospel em frente à Casa Branca como protesto pelo manejo da crise ambiental e suas consequências econômicas para o povo estadunidense.

"Achamos que a única solução ao problema é orar e pedir a intervenção divina", disse um dos manifestantes.

"O presidente Barack Obama não sabe o que fazer, a empresa British Petroleum (BP) não sabe o que fazer" assinalou Rocky Twyman, fundador do grupo, sobre o sentimento que se apodera dos norte-americanos.

Nesta terça-feira, depois de concluir seu giro de dois dias por parte da zona afetada, Obama reconheceu que a população se encontra assustada e revoltada pelo derramamento.

Há 58 dias do início do vazamento, relatórios nas mãos do congresso estadunidense sustentam que ao menos cinco petroleiras que exploram poços em águas profundas exibem idênticas falhas que a BP.

Colocada contra a parede, a BP anunciou ontem, 15, o início da mobilização de uma segunda equipe para coletar o petróleo que vaza da sinistra plataforma Deepwater Horizon.

A empresa assegurou que este dispositivo poderia aumentar significativamente o petróleo recuperado.

A instalação danificada descarrega entre 5,5 milhões e 9,005 milhões de litros por dia, segundo as últimas estimativas publicadas pelo governo norte-americano.

Enquanto isso, Obama nomeou na segunda-feira Michael Bromwich como novo chefe da agência Minerals Management Service, que supervisiona a exploração e comercialização do petróleo.

Bromwich foi vice-ministro de Justiça e inspetor geral do departamento de Justiça.

Há várias semanas, o presidente assegurou que nessa entidade reguladora existia corrupção na expedição das permissões de exploração.

Por outro lado, em seu primeiro discurso de ontem à noite, no escritório oval, sobre o derramamento, o presidente abordou aspectos do plano para recuperar a região, a nomeação de um executivo para a supervisão dos trabalhos na área danificada e a criação pela BP de um fundo de compensação aos afetados.

veja também