CPAD promove debate sobre o mercado evangélico

CPAD promove debate sobre o mercado evangélico

Atualizado: Sexta-feira, 16 Julho de 2010 as 10:14

Para debater os problemas enfrentados pelos livreiros evangélicos e planejar soluções, a Associação Nacional das Livrarias Evangélicas (ANLE) se reúne de hoje até manhã no auditório da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), que patrocina o evento.

O diretor-executivo da CPAD, irmão Ronaldo Rodrigues de Souza, revela que recepcionar a convenção da ANLE é um privilégio e demonstra que a Casa e os livreiros desenvolvem uma boa parceria em prol do Reino de Deus. "Ao longo de sua história, a CPAD entende que os livreiros são o principal canal de distribuição evangélica do nosso país. Queremos ver as portas abertas em todo Brasil, seja nas grandes ou pequenas cidades, pois temos uma representação do Reino de Deus através da página impressa", afirma.

Com o tema "Hora de Crescer", a convenção da ANLE pretende, além de eleger uma nova diretoria amanhã, traçar metas para expandir a distribuição de livros, fazer uma concorrência saudável e capacitar os profissionais da área.

Para o presidente da ANLE, José Maria Nogueira, esse é um evento histórico, pois a Assembleia de Deus completará 100 anos, a CPAD 70 e nesse período contribuiu com a igreja brasileira. "A Casa, nos ajuda desde o início. Ela reuniu todos os gerentes das filiais espalhados pelo Brasil para debater esses assuntos tão importantes. Aqui, nos sentimos em Casa mesmo".

Ele destaca ainda que o mercado enfrenta uma concorrência desleal, pois alguns livreiros querem vender mais barato que as editoras, que por sua vez, fazem promoções. "A finalidade da ANLE é unir e não criticar. Pedir a colaboração dos editores, para ter um mercado saudável. Não estamos distribuindo qualquer produto, mas a Palavra do Senhor. Devemos cumprir o Ide do Senhor com responsabilidade, pois esse é um ministério que Deus nos deu".

André Portes Santos, integrante da ANLE e livreiro, destaca outro importante ponto. Para ele, falta preparo para alguns profissionais. "Muitos entram no mercado sem preparo, não têm conhecimento técnico administrativo, financeiro e alguns nem gostam de ler. As igrejas evangélicas estão crescendo e as livrarias, que estão aqui para servir, não acompanham. Temos que acompanhar esse crescimento não apenas em quantidade, mas também em qualidade", conclui.

veja também