CPT apoia plebiscito sobre limites da propriedade agrária

CPT apoia plebiscito sobre limites da propriedade agrária

Atualizado: Terça-feira, 25 Maio de 2010 as 3:31

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) comprometeu-se com a formação de uma espiritualidade centrada no seguimento radical de Jesus em favor dos pobres e com a realização do Plebiscito Popular para a fixação de um limite à propriedade da terra, a ser realizado em setembro, durante a Semana da Pátria.

O compromisso está firmado em documento tirado do III Congresso Nacional da CPT, reunido em Montes Claros (a 422 km de Belo Horizonte), de 17 a 21 de maio, sob o tema ''Biomas, Territórios e Diversidade Camponesa''. O encontro reuniu 760 participantes, entre trabalhadores do campo, indígenas, quilombolas, ribeirinhos, posseiros, assentados, bispos, agentes de pastoral.

''Ouvimos a denúncia veemente de um Estado que, com uma mão dá a sua ajuda para mitigar a fome e a miséria imediatas, ou até para libertar modernos escravos, e que com a outra estimula, promove e financia este modelo perverso de crescimento que prejudica a sustentabilidade da sociedade e da própria vida'', diz o documento.

A CPT acusa o Poder Judiciário brasileiro de ser ''o braço jurídico que executa e legaliza a espoliação'', ao despejar todo ano milhares de famílias, ''garantindo a impunidade de assassinos, de grileiros e de empresas que não respeitam as leis''.

O documento do organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil destaca a criatividade com que camponeses respondem aos desafios gerados pela crise ecológica e por um modelo de desenvolvimento que destrói os biomas do país.

Renovando o seu compromisso profético-pastoral junto aos pobres da terra, a CPT promete não esquecer a luta pela Reforma Agrária e o combate incansável contra o trabalho escravo no país, ''no seguimento de Jesus de Nazaré''.

veja também