Cresce a preocupação quanto à vida de cristãos encarcerados no Afeganistão

Cresce a preocupação quanto à vida de cristãos encarcerados no Afeganistão

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 2:27

Atualizações sobre a situação de dois cristãos, Said Musa (45) e Shoaib Assadullah (25) detidos em prisões no Afeganistão por “apostasia” ao islã, são preocupantes segundo fontes para a Agência Fundo Barnabé.

Said é pai de seis filhos e foi preso em maio de 2010 como parte de uma ofensiva contra os convertidos ao cristianismo no Afeganistão. Ele foi torturado e abusado na prisão de Cabul, e seu caso tem sido repetidamente adiado. O advogado afirma que foi impedido de representá-lo no tribunal, e que outro se recusou a defendê-lo quando o cristão disse que se recusava a voltar ao islamismo.

O advogado ainda declara que era impossível defender este caso no Afeganistão e acredita que se Said enfrentar um juiz, lhe seria dado três dias "até você (Said) ser executado".

Shoaib foi preso em outubro de 2010 por dar um Novo Testamento na língua dari (nacional) para outro afegão. Ele deveria comparecer ao tribunal em 03 de janeiro, mas a audiência foi adiada. Foi oferecida a sua liberdade caso negasse a Cristo, mas Shoaib se recusou. Ele foi levado com os pés descalços e algemado pela polícia ao hospital, onde um médico disse que Shoaib falava coisas sem sentido e um tratamento seria necessário.

Os cristãos temem que os médicos possam dar-lhe medicamentos que alteram a mente. Em uma aparição no tribunal, o juiz deu a ele uma semana para renunciar ao cristianismo, caso contrário seria morto por sua fé. Shoaib afirmou que sua vida está completamente nas mãos de Jesus e declarou: "Sem a minha fé, eu não seria capaz de viver."

veja também