Cristã é vítima de estupro coletivo e tem seu corpo pendurado em uma árvore, na Índia

Ashani foi encontrada morta em uma floresta, 42 horas após aceitar o pedido de casamento de seu namorado hindu.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Segunda-feira, 7 Maio de 2018 as 10:26

Há testemunhas que ouviram ela gritar e fugir de um grupo de homens pela floresta. (Foto: Reprodução).
Há testemunhas que ouviram ela gritar e fugir de um grupo de homens pela floresta. (Foto: Reprodução).

Uma jovem cristã chamada Ashani teve seu corpo encontrado sem vida, pendurado em uma árvore. Ela cresceu em uma aldeia rural na Índia e como suas amigas adolescentes tinha o desejo de casar. Foi quando ela conheceu um homem hinduísta.

Ashani insistiu para seus pais que queria casar com seu novo namorado. Apesar de relutarem contra o desejo da filha, eles concordaram. Mesmo assim, avisaram ao futuro genro que ela era cristã e que ele tinha de respeitá-la. Após 42 horas do “sim” dos pais, a jovem foi achada morta.

Foi no dia 11 de março deste ano que Ashani pediu aos pais para casar com o namorado hindu. Depois de consultar o pastor, os pais concordaram. “Ashani queria se casar com ele pois ela já tinha 19 anos e muitas meninas na Índia se casam mais jovens”, disse um cristão local que estava em contato com a família.

“Encontrar um marido cristão aqui é difícil. É por isso que os pais dela cederam ao desejo dela. Não podemos questionar agora, seria desrespeitoso”, aconselhou.

Os pais da jovem temiam que ela pudesse se sentir inclinada em se converter ao hinduísmo e por este motivo, quando o homem ligou para falar sobre o casamento, a família avisou que eles eram cristãos.

Desaparecida

O hindu havia planejado passear com Ashani naquele dia, mas adiou o programa. Na manhã do dia 12, por volta das 4h da manhã, a mãe de Ashani percebeu que a filha não estava em casa. No começo, ela apenas pensou que Ashani havia saído de casa mais cedo.

A família passou a se preocupar quando percebeu que a jovem ainda não havia voltado. Os pais foram procurá-la pelo vilarejo, mas não conseguiram encontrar. À noite, ela ainda não havia retornado.

No dia 13, sua mãe telefonou para o noivo: "Ele estava bêbado e disse que ele não sairia com Ashani sem a permissão da mãe dela, mas ela ficou extremamente preocupada”. O corpo da cristã foi encontrado pendurado em uma árvore.

Estupro coletivo

A mãe de Ashani foi impedida de vê-la. As autoridades policiais retiraram o corpo dali e toda a comunidade disse que ela havia cometido suicídio, afirmando que a jovem era louca. A polícia escreveu essa declaração, apesar das objeções do pai de Ashani.

A polícia se posicionou sobre o caso: “Se ela foi sequestrada, violentada e morta, nos dê uma prova. Traga testemunhas para nós”. O pastor de Ashani disse que há testemunhas que ouviram a cristã gritar e fugir de um grupo de homens pela floresta.

Um dos homens do grupo que violentou Ashani era o próprio noivo. “A família está muito assustada, eles têm mais quatro filhas e não estão seguros. Ninguém quer testemunhar e a polícia não está ajudando”, compartilhou um colaborador local.

veja também