Cristão é condenado por exibição de filme

Cristão é condenado por exibição de filme

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 8:53

Um tribunal do Butão, predominantemente budista, condenou o cristão nepalês, Prem Singh Gurung, 40 anos, a três anos de prisão por tentativa de promover agitações civis pela seleção de filmes sobre o cristianismo.

Gurung foi preso há quatro meses depois que os moradores locais se queixaram de que ele estava exibindo filmes cristãos em pequenas vilas e aldeias. As aldeias de Gonggaon e Simkharkha são praticamente inacessíveis, leva-se até 48 horas em estradas esburacadas. "Mesmo sem eletricidade Prem Singh Gurung levava um projetor e um gerador para montar o cinema improvisado”, relata um jornal local.

O jornal afirma que os advogados do governo não podiam provar que Gurung promovia distúrbios civis, mas mesmo sem provas o acusou.

Gurung também foi acusado de violação de informação e comunicação do país. Essa lei determina que as autoridades examinem todos os filmes antes de serem exibidos ao público.

Mais de 75% das mais de 683 mil pessoas que vivem no Butão são budistas, principalmente a parte ocidental e oriental. Hindus nepaleses da etnia do sul do país são 22% da população. Também se estima que cerca de 6 mil moradores, principalmente do sul, são cristãos. No entanto, esse número não é reconhecido oficialmente no país.

Perseguição Perseguição aos cristãos no Butão surgiu na década de 1980, quando o rei começou uma campanha para proteger a soberania do país e integridade cultural. Étnicos do Nepal protestaram contra a medida por motivos de discriminação.

As autoridades responderam militarmente, expulsando ou obrigando a migração voluntária de mais de 100 mil nepaleses, muitos dos quais eram cristãos, para o lado da fronteira do Nepal em Jhapa no início de 1990.

veja também