Cristão gay que não muda de comportamento tem salvação?

Cristão gay que não muda de comportamento tem salvação?

Atualizado: Terça-feira, 17 Julho de 2012 as 10:14

O presidente da Exodus International nos Estados Unidos, Alan Chambers, recebeu o telefone de um estudioso evangélico por parecer preocupado com algumas de suas declarações.

Dr. Robert AJ Gagnon, professor de Novo Testamento no Seminário Teológico de Pittsburgh, parece não entender a afirmação de que homossexuais que se convertem e continuam na homossexualidade têm a salvação garantida.

"A questão é que Alan garante mesmo a auto-professos crentes que não se arrependem e auto-afirmando no seu pecado que nenhum pecado de qualquer magnitude ou grau vai impedí-los de ir para o céu", disse Gagnon.

Em entrevista ao Christian Post, Chambers explicou e completou seu pensamento. Ele diz que a questão não é se gays vão ou não para o céu, mas é ter segurança em Cristo por ser crente.

"Eu não estou dizendo que o pecado não é pecado. Eu não estou dizendo que as pessoas devem viver em pecado sem se arrepender. Eu não estou dizendo que isso é uma marca de um crente maduro em tudo".

Ele falou que entregou seu coração a Jesus, mas também continua com defeitos. "Ficarei muito feliz em lhes dizer quais são meus defeitos e minhas fraquezas e as áreas que eu oro em minha vida diariamente. Mas eu conheço Cristo. E isso é seguro. E acho que é algo que realmente ajuda os crentes prosseguir a sua santidade, quando eles não têm de viver neste medo ou a vida de condenação se perguntando se Deus vai arrancar Seu relacionamento deles. Todos utam e caem em pecado - e às vezes o mesmo tipo continuamente", explica.

Leia também:

"O cristianismo gera perpetuação de sofrimento à condição gay", diz pastor

"Homossexualidade é uma conduta aprendida", afirma pastor ex-travesti

Gagnon responde dizendo que não se trata de alguns 'tropeços', mas da falta de interesse em mudar. "Estamos falando de cristãos auto-professos que afirmam que o seu comportamento, até mesmo o comportamento que a Escritura considera como uma ofensa extrema, é realmente uma coisa boa e que têm nenhum desejo de interromper o comportamento".

"Eu entendo que Alan vê a sua mensagem como um estímulo dos cristãos gays 'para considerar quão grande graça de Deus é, para que assim, esperançosamente, eles vão responder à graça com a obediência", acrescentou Gagnon. "No entanto, homossexuais ativos 'cristãos gay' já estão abusando da graça de Deus. Como o homem incestuoso em Corinto (1 Cor. 5), assegurando-lhes que vão para o céu, enquanto eles continuam em crassa imoralidade sexual tem o efeito oposto de encorajá-los a continuar a abusar da graça de Deus."

Respondendo sobre o processo de santificação na vida Cristã, Chambers diz: "Acredito na justificação no ponto de salvação, creio em santificação no ponto de salvação. Acredito que somos justificados e que somos santificados, mas o pecado reside, o poder do pecado reside em nossa carne".

O estudioso Robert AJ Gagnon lembra que Jesus e os autores do Novo Testamento claramente consideram uma vida não transformada como evidência para justificar a ausência de fé.


com informações do Christian Post

veja também