Cristão perdoa homem que o deixou paralítico e corre meia maratona com ele

Segundo o cirurgião de Dean Otto, seu gesto de perdão acelerou seu processo de recuperação.

fonte: Guiame, com informações do Hello Christian

Atualizado: Quarta-feira, 25 Outubro de 2017 as 4:19

Três dias depois de ter feito uma cirurgia na coluna, Otto deu seus primeiros passos. (Foto: Reprodução).
Três dias depois de ter feito uma cirurgia na coluna, Otto deu seus primeiros passos. (Foto: Reprodução).

Se você quer saber como é o verdadeiro perdão, não pode deixar de ler essa história até o fim. Em setembro de 2016, Dean Otto estava em um passeio de bicicleta pela manhã, quando de repente tudo ficou escuro. Ele tinha sido brutalmente esmagado por Will Huffman, de 27 anos. As feridas de Otto eram horríveis, e parecia que ele provavelmente ficaria paralisado pelo resto de sua vida.

Apesar da situação horrível, Dean sabia que deveria perdoar Huffman e então, enquanto estava deitado na estrada coberta de sangue, ele refletia. "Eu senti uma presença que me acalmou. Eu não sabia o que ia acontecer, mas eu simplesmente entreguei tudo a Deus", disse Otto a NBC News.

"Eu também sabia que tinha que perdoar Will por ter me acidentado, porque se eu fosse carregar esse ressentimento, isso iria me consumir vivo", ressaltou.

Otto foi levado para o hospital. Sua espinha estava fraturada. Sua pélvis, cóccix e costelas estavam quebradas. Mas o cirurgião acredita que seu incrível gesto de perdão aumentou enormemente sua recuperação a longo prazo.

Apenas três dias depois de ter feito uma cirurgia na coluna, Otto deu seus primeiros passos.

"Foi difícil, muito difícil", ele disse para as pessoas. "Mas eu fiz". O atleta então se comprometeu com o objetivo de correr uma meia maratona com seu cirurgião Matt McGirt e o homem que lhe atingiu, Huffman.

Huffman visitou Otto para se desculpar pelo acidente. "Ele me disse que vou ficar bem e que eu deveria fazer o mesmo comigo, me desculpar", lembrou Huffman. "Essas conversas evitaram com que eu tivesse recuperação emocional difícil. Não só ele disse que tinha me perdoado, mas também falou que seria meu amigo e que ia me ajudar a contar esta história".

Um ano depois do acidente, os três homens completaram a meia maratona de Napa na Califórnia. "Foi um tempo muito emotivo para todos nós. Ele era o cara que me atingiu no caminhão, e eu estava no chão", disse Otto à NBC News. "E agora é a nossa vez de voltar e ajudá-lo a atravessar a linha porque conseguimos", finalizou.

Confira a matéria da Today:

veja também