Cristãos do Vietnã perdem liberdade religiosa na internet com nova lei

A nova lei permite que as autoridades do Vietnã possam exigir legalmente dados pessoais dos usuários de internet.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Segunda-feira, 9 Julho de 2018 as 11:01

A nova lei permite que o governo bloqueie o acesso a qualquer conteúdo cristão na internet que seja "desaprovado". (Foto: Reprodução).
A nova lei permite que o governo bloqueie o acesso a qualquer conteúdo cristão na internet que seja "desaprovado". (Foto: Reprodução).

A liberdade religiosa no Vietnã já é limitada, mas agora passará a ficar mais ainda. É que o país aprovou uma nova lei que compromete bastante a privacidade on-line dos moradores locais. Os comunistas consideram a igreja como um grupo perigoso facilmente capaz de mobilizar massas de pessoas, por isso eles tentam estar no controle de tudo.

Desde a aprovação da lei, as autoridades do Vietnã podem exigir legalmente dados pessoais dos usuários. Segundo os especialistas das Portas Abertas, isso fará com que os websites e serviços on-line sejam hospedados dentro de servidores do país.

Neste caso, o governo passa a ocasionar o impedimento de todo e qualquer conteúdo cristão que seja desaprovado por eles. Por este motivo, passa a ficar cada vez menor a liberdade para os cristãos e a possibilidade de alcançar vidas para Jesus por meio do evangelismo digital.

Ainda de acordo com a Portas Abertas, além das novas limitações adotadas pelo governo do Vietnã, as autoridades também continuam usando o que os especialistas chamam de “velhos métodos de perseguição”.

Um exemplo disso é que na semana passada, um líder religioso foi exilado na Alemanha, de onde foi impedido de sair. Para a Portas Abertas, banir e exilar cristãos são táticas muito utilizadas pelo governo do Vietnã.

O país é configurado hoje na 18ª colocação na Lista Mundial da Perseguição 2018. A Portas Abertas alerta os cristãos pelo mundo para que orem pelas autoridades locais. “Ore pelo governo deste país. Interceda pela Igreja Perseguida para que, apesar da perseguição, possa crescer e se fortalecer”, pedem.

veja também