Cristãos marcham em protesto contra a reforma da Imigração nos EUA

Cristãos marcham em protesto contra a reforma da Imigração nos EUA

Atualizado: Quarta-feira, 27 Abril de 2011 as 10:27

Temendo que a reforma da legislação da imigração pudesse separar suas famílias, os manifestantes começaram os protestos na segunda-feira, em Little Havana em Miami e Tallahassee. Eles se opõem às medidas de imigração que permitem a polícia verificar o status de imigração e criminalizar os imigrantes ilegais.

"Estou aqui para representar milhões de crianças que não querem que esta lei seja aprovada," disse Cecilia Perez, de 16 anos e segundo ano do ensino médio. "Por quê? Bem, nós não queremos que nossas famílias sejam separadas, e também não queremos ter a discriminação racial em todo o estado da Flórida".

Ela também mostrou sua fé em Deus, crendo que a lei não será aprovada.

"Quantos de vocês têm fé em Deus que essa lei não vai passar?" perguntou ela. "Meu pai é um cidadão americano e minha mãe não é. Eu sou uma cidadã americana. Eu nasci aqui fui criada aqui e eu não quero ser separada da minha família," disse Perez.

Os manifestantes, juntamente com líderes religiosos marcharam ao redor do Pátio do Capitólio, onde cantaram "Somos Flórida," enquanto eles marchavam e carregavam cartazes assinalando os projetos de lei SB 2040 e MP 7089.

Eventualmente, eles se reuniram nas escadarias do Velho Capitólio, recitaram o juramento à bandeira, cantando o "Star-Spangled Banner," e oraram em espanhol.

Nancy Mayeux da Igreja Metodista Unida Union Street e missão Hispana em Clearwater declarou que quer as famílias separadas. "Nós sentimos como se o sistema estivesse quebrado em uma base federal e o estado estivesse tentando corrigir às custas dessas famílias," disse.

Mayeux disse que sua congregação latino-americana tem cerca de 30 famílias. Segundo ela, oficiais da Imigração e Fiscalização Aduaneira entraram em contato com ela para saber o que fazer com os filhos de homens e mulheres deportados. "A Bíblia nos diz que o estrangeiro deveria ser bem vindo," disse ela. "E nós não estamos encontrando isso aqui".

Neste momento os projetos de lei da Câmara e Senado são diferentes. O projeto da Câmara permitiria que a polícia verificasse o status de imigração de pessoas sob investigação criminal, se suspeitarem que podem ser imigrantes ilegais.

A versão do Senado permitiria a aplicação da lei para verificar o status de recluso, bem como status de funcionário.

Os protestos, que serão realizados durante uma semana inteira, são organizados pela Coalizão de Imigração da Flórida (Florida Immigration Coallition).

Natalia Jaramillo, uma porta-voz da Coalizão de Imigração da Flórida apontou que, "a Flórida tem uma enorme quantidade de investimentos de empresas da América Latina, bem como turistas, e muitos deles poderiam deixar de vir a este estado se as leis que discriminam os latinos forem implementadas".

De acordo com o prefeito de Sarasota, Kelly Kirschner, além de fazer da Flórida um ambiente hostil aos imigrantes, os projetos de lei efetivamente transformariam policiais em agentes federais de imigração.

"Nós realmente temos desafios suficientes no nosso prato que lidar com outro mandato ainda não capitalizado," disse Kirschner.

Recentemente, a Florida Immigrant Advocacy Center (Centro de Defesa ao Imigrante da Flórida), juntamente com a American Civil Liberties Union (União Americana pelas Liberdades Civis) disse que pretende processar o Estado, se o legislador da Flórida passar qualquer um dos dois projetos de lei de imigração pendentes.

De acordo com os defensores dos imigrantes, os componentes do projeto da Câmara são semelhantes aos de Arizona em que o tribunal federal recentemente recorreu como 'inconstitucional'.

Outros manifestantes, como agricultores e estudantes - filhos de imigrantes ilegais - marcharão de diferentes cidades na terça e quarta-feira para a capital do estado, Tallahassee, para aumentar a pressão sobre os legisladores.

Algumas pesquisas em 2008 estimam que mais 300 mil brasileiros vivem na Flórida.

veja também