Cristãos perdem posse do terreno da igreja

Cristãos perdem posse do terreno da igreja

Atualizado: Sexta-feira, 29 Outubro de 2010 as 3:50

No dia 4 de outubro a polícia no Sudão expulsou a equipe da Igreja Evangélica Presbiteriana no Sudão (SPEC, sigla em inglês) do seu escritório localizada na capital Khartoum, o que ajudou um empresário muçulmano na tentativa de apossar-se da propriedade.

Cristãos da capital sudanesa contaram à Compass Direct News que a polícia entrou no complexo da SPEC e ordenou aos trabalhadores para sair, alegando que a terra pertencia ao negociante muçulmano Osman Al Tayeb.

A igreja assinou um contrato com Al Tayeb estipulando os termos sob o qual ele poderia obter a propriedade – incluindo fornecer documentos legais tal como uma construção permite, e então obter a aprovação final da SPEC – mas aqueles termos permaneceram não atendidos, segundo o oficial da igreja.

O líder da igreja, Deng Bol, disse que sob os termos do contrato não cumprido, a SPEC devolveria toda a propriedade para Al Tayeb para construir um centro de negócios no local, com a denominação para receber e repartir os lucros do comércio e recuperar a posse da propriedade após 80 anos.

Líderes da SPEC já tinham aprovado o projeto por causa do alto risco de perder a propriedade permanentemente e empreenderam ação legal para recuperá-la. A disputa é pelo terreno de 2.232 m2 que tem sido usado para reuniões cristãs e atividades relacionadas.

O reverendo Philip Akway, secretário geral da SPEC, disse à Compass que o governo pode ser contrariado já que as atividades cristãs têm crescido ali por muitas décadas. Os líderes da SPEC disseram que os muçulmanos têm assumido o controle de muitas outras propriedades cristãs através de estratagemas similares.

Ante a condição de anonimato, um presbítero disse que os líderes da igreja acreditam que a propriedade entrou na antecipação de proposta de divisão norte-sul do Sudão. Com menos de três meses até o referendo de separação do país de nove de janeiro, de acordo com o Acordo de Paz de 2005, líderes da SPEC tem diversas recursos para se defender contra a interferência do governo nos assuntos da igreja, como muitos sudaneses cristãos com medo de perder a cidadania caso o sul do Sudão votem a favor da secessão.

Tradução: Tatiane Lima

veja também