Cristãos são ameaçados a se converter ao islã

Cristãos são ameaçados a se converter ao islã

Atualizado: Quinta-feira, 27 Janeiro de 2011 as 1:12

Os cristãos da cidade etíope de Besheno têm sido ameaçados e agredidos fisicamente após muçulmanos afixarem avisos nas portas de suas casas alertando-os a se converterem ao islamismo, caso contrário deverão sair da cidade ou encarar a morte. Três líderes cristãos fugiram da cidade e outros dois cristãos se converteram forçadamente ao islã. Na cidade de maioria muçulmana, toda a comunidade evangélica cristã é composta por 30 pessoas.

O obreiro Kassa Awano permanece em estado crítico depois de ser atacado por muçulmanos em 29 de novembro de 2010. Poucos dias depois do ataque, 100 muçulmanos cercaram um veículo que transportava líderes cristãos quando estavam a caminho para negociação da paz com os líderes muçulmanos. Dois homens, Tesema Hirego e Niggusie Denano ficaram gravemente feridos e outros sofreram ferimentos leves.

Em 02 de janeiro, após depor a favor dos cristãos na tribunal, Temesgen Peteros  foi agredido por muçulmanos com uma faca. Os cristãos de Besheno têm sido alvo de muçulmanos há muitos anos, até por ouvirem música gospel ou verem filmes do mesmo gênero. Em 21 de maio de 2004, a filha de 7 anos de um cristão, Tesfaye Hobe, também foi assassinada.

"Nós pedimos que o nosso direito constitucional [de liberdade de religião] para ser respeitado. Queremos que este ato desumano pare. Somos incapazes de viver em nossa própria cidade, devido à prática desses atos ", declarou um dos líderes cristãos foragido a Internacional Christian Concern (ICC, sigla em inglês).

Funcionários muçulmanos locais se recusam a proteger os cristãos e ignoram seus apelos por justiça, a diminuição dos repetidos pedidos para a construção de um local de culto e um cemitério. Em 19 de janeiro, uma mãe cristã foi obrigado a enterrar sua filha falecida em uma cidade de mais de 20 quilômetros de Besheno, devido à ausência de um cemitério para os cristãos.

Besheno é uma cidade localizada na província de Alaba no sul da Etiópia. De acordo com o censo nacional de 2007, 93,84% da população da província é muçulmana. Os cristãos formam 5,82% da população.

"Estamos alarmados com o anúncio de ameaças aos lares cristãos e os ataques contra os estes em Besheno. Instamos as autoridades etíopes para que sejam justos quanto aos autores dos ataques, protejam os cristãos e concedam-lhes autorizações para construir um lugar de culto, bem como um cemitério", disse Jonathan Racho, gerente regional da ICC África.  

veja também