Cristãos se unem contra casas de apostas em Londres

Cristãos se unem contra casas de apostas em Londres

Atualizado: Segunda-feira, 1 Novembro de 2010 as 12:13

Cristãos, lojistas e moradores da Chinatown (Londres) se uniram contra a proliferação de casas de apostas que abriram na região. Há mais de 60 lojas de jogos no bairro londrino de Westminster, onde fica Chinatown.

Os moradores se uniram sob a bandeira do grupo Cidadãos Westminster, filial local da London Citizens, para protestar contra a prevalência de lojas de jogos em suas comunidades.

O grupo diz que as lojas de apostas estão causando sérios níveis de dependência do jogo e da dívida entre aqueles que vivem e trabalham na área.

Eles estão fazendo lobby Westminster City Council para limitar o número de lojas de jogos no município e que tenham apresentado uma acusação formal contra um pedido de apostas para novas instalações.

Nikki Lee, da London Citizens, disse: "Chega, esta proliferação de cassinos tornou-se um mal social que está levando a um colapso em muitos casamentos e grandes dívidas”.

O problema se tornou tão grave que foi criado pelos cristãos, Centro de Reabilitação para ajudar as pessoas a recuperar de seus vícios de jogo.

A Sra. Lee disse: "Nós não queremos tornar a região conhecida pelo jogo. Chinatown é muito mais do que um aglomerado de casas de apostas. Nós representamos tudo o que é diversificado e dinâmico sobre Londres".

Jennifer Hogg, que faz campanha contra o jogo em nome da Aliança Evangélica, adverte que o aumento de apostas está sendo visto em todo o Reino Unido. Ela acredita que o problema reside em brechas no licenciamento e planejamento que “amarram as mãos” das autoridades locais. 

"Cada loja de aposta é um mini-cassino com máquinas de jogo. Agora nós estamos testemunhando grupos de bicheiros nas áreas mais pobres. Por causa de brechas legais, os conselhos não têm poder para frear a expansão do jogo e não pode usar seu conhecimento local para proteger as comunidades da superlotação de salas de jogo”, disse ela. 

veja também