Cristãos seguem presos pelo justiça em cidade africana

Cristãos seguem presos pelo justiça em cidade africana

Atualizado: Sexta-feira, 26 Novembro de 2010 as 2:03

Autoridades de segurança da Eritreia prenderam 37 cristãos na cidade portuária de Assab no domingo, dia 14 de novembro. Entre os presos estão sete mulheres que faziam o seu Serviço Nacional em diversos escritórios governamentais. Uma delas está com sete meses de gravidez, e estão todos detidos na detenção da cidade.

A prisão ocorreu em seus locais de trabalho e escolas. Os nomes dos presos apareceram em uma lista que os agentes de segurança tinham com eles, indicando uma campanha bem organizada contra os cristãos que continuam suas atividades religiosas fora do Governo que aprovou a fé ortodoxa, católica, luterana e islâmica.

Fontes disseram que detenções semelhantes ocorreram há duas semanas em Mendefera, Adi-Kuala, Dekemhare e Debarewa. Pelo menos 49 pessoas foram detidas. As autoridades também confiscaram televisores e receptores para punir os presos por assistirem o chamado “canal de Deus”, um programa cristão de televisão.

O governo também começou a colocar pressão sobre o clero das religiões sancionadas por ele.

Três semanas atrás um pastor da igreja luterana, o pastor Zenawe, foi preso. Então, a Igreja Anglicana, que tem trabalhado sob a asa da Igreja Luterana, foi informada a não permitir que pastores estrangeiros preguem em seus púlpitos nos cultos em inglês. O sacerdote dos quatro grupos foi também notificado a esperar a próxima rodada de treinamento militar programada para iniciar em Sawa, no Centro de Formação Militar, em janeiro de 2011.

Esses grupos reconhecidos até agora estão isentos na sua maioria de interferências por funcionários de segurança. Enquanto isso, os líderes da igreja indicaram que podem agora contar cerca de 970 prisioneiros pela sua propagação de fé, nas detenções pela África. No entanto, eles dizem que pode haver cerca de 600 cristãos desconhecidos a eles que sofrem nas mesmas condições brutais por causa de sua fé.

veja também