Cristo ou a bandeira vermelha

Cristo ou a bandeira vermelha

Atualizado: Quinta-feira, 6 Agosto de 2009 as 12

Alí no corredor, estava meu pai. Magro, rosto encovado, cabeça raspada, trajando roupas esfarrapadas e cheias de remendo e com um embrulho engordurado nas mãos. Mas era meu pai...

No dia seguinte fomos passear no parque. A Luz pálida do sol matutino infiltrava-se entre as folhas das árvores e o ar exalava um agradável cheiro agreste. Acredito que ele tenha encontrado em mim um caráter mais rijo do que esperava.

"Sabes bem o quanto o admiro", disse-lhe. "tenho sempre razão em tudo, seus argumentos eram sempre os mais lógicos.

Talvez sua influência sobre mim fora demasiadamente grande.

Se Deus o não tivesse afastado de mim e até o mesmo de minha mãe, talvez nunca conseguisse desenvolver uma personalidade verdadeiramente minha. Quem sabe se o fato de o terem levado não foi um dos meios usados por Deus para permitir meu desenvolvimento!"

Ficou um tanto surpreendido. Mas, creio que agi bem. "Gosto muito de você, mas pai, eu sou eu. Li seus livros. Não tenho, sobre muitos assuntos, o mesmo pensamento".

"Francamente, sinto-me contente" – disse-me ele. "De fato, o descobrimento da própria personalidade, por si só, é um dos maiores dons que Deus presenteou aos homens".

Este livro narra o testemunho de Michael Wurmbrand que teve que fazer sua própria escolha. Cristo ou o comunismo. Na época que ele decidiu tanto seu pai como mãe estavam presos em campos de concentrações e na época era proibido ajudar a filhos de "prisioneiros políticos" e Michael ficou perambulando nas ruas da Romênia.

veja também