Cuidado com a Glória - Coluna Luiz Leite

Cuidado com a Glória - Coluna Luiz Leite

Atualizado: Terça-feira, 30 Junho de 2009 as 12

Cuidado com a Glória! A notoriedade muda os homens. Há exceções, é óbvio, mas são raríssimas.

Essa ambição à primeira vista saudável, de construir uma carreira sólida e um nome célebre é extremamente delicada e porque não dizer, perigosa. A glória transforma os homens, e geralmente para pior, quando não os mata!

O conceito de Glória, no Velho Testamento, do hebraico Cabod , tem uma conotação de "Peso". A bíblia orienta-nos a dar glória a Deus. Permanece, todavia, vaga a instrução por falta de esclarecimento aos homens que em geral são tardos de entendimento...

A glória deveria ser dada imediatamente a Deus após esta ou aquela conquista. Acumular os créditos sem transferí-los para Deus aumenta a "nossa" glória, e glória é peso. Sob o peso da glória os homens sucumbem... Suas estruturas são conduzidas ao colapso, pois somos extremamente frágeis. O texto bíblico diz que pesados na balança somos menos que nada!! (Sl 62.9)

Se pudéssemos fazer uma análise acurada dos edifícios existenciais daqueles que alcançaram a glória e falharam em transferí-la ao dono, encontraríamos imensas rachaduras que levarão ao desastre inevitável se tais pessoas não se apressarem a dar a glória a Deus. Quanto mais glória, mais peso.

Desejar a glória é uma ambição que tem origem no ego luciférico. Essa ambição desmesurada espalhou-se como metástase pelos corações humanos e tem conduzido muitos a um precipício de perdição.

Herodes, deslumbrado com a glória que acumulou, foi consumido por vermes experimentando um dos desfechos mais tristes de que se tem notícia, quando falhou em humilhar-se e apropriou-se de uma glória que não era sua! O autor de Atos informa :"... um anjo do Senhor o feriu, por ele não haver dado glória a Deus; e, comido de vermes, expirou." (Atos 12.23)

Nabucodonosor, ao exaltar-se inapropriadamente com a glória que as muitas conquistas lhe renderam, sofreu terrível golpe e tornou-se como um animal ao perder o juízo; O texto bíblico diz:   "(...) e foi tirado dentre os homens e comia erva como os bois, e o seu corpo foi molhado do orvalho do céu, até que lhe cresceu pêlo, como as penas da águia, e as suas unhas, como as das aves." (Dn 4.33)

Assim que consciência só foi restituída, como se num teste para uma segunda oportunidade, apressou-se a dar glória a Deus. Daniel relata as palavras do infeliz: "Ao fim daqueles dias, eu, Nabucodonosor, levantei os meus olhos ao céu, e tornou-me a vir o meu entendimento, e eu bendisse o Altíssimo, e louvei, e glorifiquei ao que vive para sempre, cujo domínio é um domínio sempiterno, e cujo reino é de geração em geração." (Dn 4.34) Infelizmente vimos nesses dias mais um dos "poderosos" sucumbirem ante o peso da glória granjeada mas, ao que parece, nunca transferida ao Rei da glória. Michael Jackson conheceu a glória, afeiçoou-se a ela e essa mesma glória o matou. Não foram as drogas que mataram Elvis Presley, Marilyn Monroe, Jimmy Hendrix, John Lennon, entre tantos outros que foram ceifados em sua mocidade. Alcançaram a glória e receberam o culto. Pagaram preço altíssimo por isso.

Podemos reter a alegria de nossas conquistas. A glória jamais! Toda glória seja dada a Deus. Cuidado com a Glória!

Luiz C Leite

Luiz C. Leite é pastor, psicanalista, administrador de empresas, conferencista e escritor. Autor de "O poder do foco", editora Memorial; e "A inteligência do Evangelho", editora Naós; além de vários títulos por publicar.

Confira o blog do escritor: http://luizvcc.wordpress.com/

veja também