Davi entrega coroa a Salomão e morre em paz

Assista ao último capitulo de Rei Davi

Atualizado: Sexta-feira, 4 Maio de 2012 as 8:28

O exército de Absalão começa a perder. Ele observa de longe e começa a ficar assustado. Paltiel e Joabe se encontram no campo de batalha. Por alguns momentos, parece que o general de Davi vai levar a pior. A luta dos dois continua violenta, mas Joabe se mostra mais habilidoso e consegue matar Paltiel.
Cansado após a batalha, Joabe logo é desarmado por outros soldados. Quando vai ser morto, o general é salvo por algumas flechas que derrubam os inimigos. Joabe se aproxima do soldado que atirou as flechas e percebe que é Raquel. O general pergunta o que a filha faz por ali, quando ela pede que ele se abaixe rapidamente. Ela mata outro soldado que quase acerta um golpe em seu pai.
Joabe fica pasmo, ainda em choque e ri quando a filha o incentiva a batalhar. Eles partem para cima dos inimigos. Tirsa sabe que Ziba mentiu sobre Mefibosete e o ameaça. Abiatar leva alguns mantimentos para Mefibosete e fica impressionado com a fidelidade do homem, que preferiu voltar às ruas a ficar no palácio ao lado do homem que traiu Davi.
Husai diz a Natã que não pode mais ser um sacerdote. Absalão percebe que a batalha está praticamente perdida e decide fugir a cavalo. Itai o vê e vai atrás. Absalão cavalga a toda velocidade, quando de repente, fica preso pelos cabelos em uma árvore. Pendurado, fica desesperado. Itai se aproxima, mas não sabe o que fazer. Joabe chega em seguida e pergunta porque Absalão ainda está vivo. Itai explica que Davi ordenou que não fizessem nada contra seu filho.
Furioso, Joabe pega sua lança e crava com toda a força no peito de Absalão, que agoniza até morrer. Bate-Seba conta a Davi que foi Allat quem salvou Salomão das mãos de Mical. Se conseguir retornar a Jerusalém, ele promete punir sua primeira esposa. Um shofar toca ao longe. Davi sabe que esse é o sinal de Joabe avisando sobre o fim da guerra. Ele fica ansioso.
O corpo de Absalão é jogado em uma cova funda. Joabe e Itai observam o homem ser enterrado e trocam um olhar cúmplice. O ferreiro sabe que não pode contar nada, mas apoia Joabe. O general pede que Jonadabe dê as boas notícias para Davi. O ungido de Deus fica em choque ao saber que perdeu mais um filho. Ele caminha desnorteado e começa a chorar, desesperado. Davi grita de dor. Na tenda, Joabe se aproxima de Davi e afirma que todos os soldados foram humilhados.
Depois que deram o sangue para salvar o povo, se sentem culpados porque o rei chora pela morte do filho que se tornou inimigo. Davi só ouve, sem reagir. Firme, Joabe afirma que Davi estaria mais feliz se Absalão, o traidor, estivesse vivo enquanto todos os seus soldados fossem mortos em batalha. Davi sai da tenda, acompanhado por Joabe. Com um semblante melhor, conformado, ele motiva todos os soldados e afirma que o grupo deve retornar para Jerusalém.
Os homens gritam eufóricos e comemoram, felizes. Aitofel fica assombrado ao saber que Absalão morreu. Mical fica apavorada ao descobrir que Davi está voltando. Aitofel arruma a casa meticulosamente. Em seguida, prepara uma corda de couro e amarra no teto. Ele se enforca. Mefibosete ouve a festa da chegada de Davi e se aproxima. Tirsa fica aliviada ao vê-lo. Ele vai até Davi e conta que foi enganado por Ziba. O servo logo se aproxima.
Como não sabe quem fala a verdade, Davi decide dividir as terras de Saul entre os dois. Mefibosete afirma que Ziba pode fica com tudo, afinal, para ele só importa a paz após o retorno do rei. Ele vai se retirar, digno, mas Davi pede que espere. O rei afirma que sempre soube da idoneidade de Mefibosete, que não se importou em perder as posses. Ele devolve tudo ao filho de Jonatas e ordena que os guardas segurem Ziba.
Davi decide baní-lo da cidade. Além disso, decide que Ziba terá de mendigar para sobreviver. Husai conta a Tamar que era espião do rei. A jovem descobre que Absalão morreu na batalha e começa a se culpar. Husai a tranqüiliza. Tamar repara que ele não usa mais o turbante. Ele revela que deixou de ser sacerdote em nome do amor que sente por Tamar. Os dois se declaram e o beijo acontece.
Mical tenta enganar Davi, mas ele afirma que não acreditará em nenhuma mentira. Ele conta que todo o povo já sabe sobre sua traição com Absalão. Allat e Bate-Seba se aproximam. Mical tenta se defender, mas Davi exige que ela se cale. Primeiro, ele dá a sentença para Allat. Depois de tanto sofrimento, além de ter salvo Salomão, a mulher receberá ouro suficiente para viver confortavelmente pelo resto de seus dias.
Davi destaca que Allat pode viver em Israel, desde que adore somente a Deus. Ela afirma que deixou a feitiçaria de lado e adorava apenas o Deus dos hebreus há algum tempo. Davi se dirige a Mical e dá a sentença. Assim como as outras concubinas que o desonraram, ele a condena a ficar confinada no palácio até a morte.
Além disso, como todas as traidoras, Mical será proibida de ver o rosto de qualquer pessoa. Ela grita, enquanto é arrastada pelos guardas. Davi sonha com um grande templo para a Arca da Aliança. Enquanto toca sua harpa, ele pergunta a Deus quem será o próximo rei. Salomão é ungido por Natã. Futuramente, ele será rei. O tempo passa. Na prisão, Mical enlouquece. Husai e Tamar se casam. Mefibosete já consegue caminhar bem utilizando muletas.
Grávida de nove meses, Raquel se mostra muito feliz ao lado do companheiro. Joabe e Tirsa brindam, felizes. Davi e Bate-Seba declaram o amor que sentem um pelo outro. O tempo passa e Davi envelhece. Deitado em seu leito, ele se despede de Bate-Seba. Salomão, adulto, se aproxima do pai e também se despede. Bate-Seba observa, emocionada.
Davi entrega sua coroa ao filho, que promete reinar com justiça, segundo as leis de Deus. Bate-Seba abraça o filho. Salomão beija o rosto de Davi e segura sua mão. O ungido de Deus morre em paz.

veja também