Decisão judicial condena Igreja Mundial a indenizar missionária por trabalho sem registro

Missionária receberá indenização da Igreja Mundial

Atualizado: Terça-feira, 13 Março de 2012 as 9:37

Ana Paula Nidech moveu uma ação contra a Igreja Mundial após provar ter tido relação de trabalho com a igreja, na qual trabalhava sem nenhum tipo de registro. A missionária chefiava e realizava atendimentos no escritório da Igreja Mundial e teve seu vínculo empregatício com a igreja neopentecostal, liderada por Valdemiro Santiago, reconhecido novamente pela Justiça carioca. A igreja havia entrado com recurso alegando que Nidech prestava serviços voluntários, como “obreira” e “missionária” à instituição religiosa.

De acordo com o site Ultima Instância, a relatora do recurso ordinário, desembargadora Rosana Salim Villela Travesedo, afirmou que Igreja reconheceu ter se beneficiado da mão-de-obra da trabalhadora até julho de 2008, sem, contudo, provar que os serviços eram voluntários.

Após depoimento prestado por um pastor da instituição, que confirma que Ana Paula Nidech chefiava o setor onde trabalhava e exercia funções de atendente no escritório da igreja, usufruindo de rápido intervalo para almoço a desembargadora manteve a determinação do pagamento das verbas trabalhistas referentes às atividades de abril de 2007 a dezembro de 2008 a missionária.

veja também