Demógrafo fala da existência de evangélicos não praticantes no Brasil

Demógrafo fala da existência de evangélicos não praticantes

Atualizado: Quarta-feira, 18 Julho de 2012 as 10:30

Enquanto no ano de 2000, pouco mais de um milhão de pessoas se declararam evangélicas, sem citar nenhuma igreja específica, no Censo de 2010 esse número passou para 9,2 milhões.

Como os recenseadores não fazem perguntas adicionais, não é possível saber se de fato todo esse contingente frequenta mais de uma igreja, se frequenta só uma ou não frequenta nenhuma.

Os dados do IBGE mostram que essas pessoas representam 4,8% da população do país. "A oferta de igrejas aumentou muito, e elas já não exigem aquela adesão irrestrita do passado", diz Edin Sued Abumanssur, do Departamento de Ciências da Religião da PUC-SP.

Para o demógrafo José Eustáquio Diniz Alves, hoje já existem os evangélicos não praticantes, assim como os católicos.

Para explicar o fenômeno, há várias hipóteses: desde a decepção dos fieis com a igreja que frequentavam até os custos elevados da vida religiosa, passando pelo aumento do individualismo e pela busca por mais autonomia.

Leia também:

'A intervenção de Deus em nossos planos' - por Gustavo Bessa

Manifesto pacífico na Marcha pede o Evangelho como ele é


com informações da Folha de S. Paulo

veja também