Desempregada, mulher vai às ruas para orar e distribuir alimentos a milhares nos EUA

A colombiana Sofia Moncayo lidera equipe de voluntários para distribuir alimentos para a comunidade durante a pandemia.

fonte: Guiame, com informações do Faithwire

Atualizado: Segunda-feira, 1 Março de 2021 as 3:06

A voluntária Gloria Martinez, à esquerda, fala com Sofia Moncayo, que dirige um programa de distribuição de alimentos por meio da Mosaic West Queens Church. (Foto: Emily Leshner / AP)
A voluntária Gloria Martinez, à esquerda, fala com Sofia Moncayo, que dirige um programa de distribuição de alimentos por meio da Mosaic West Queens Church. (Foto: Emily Leshner / AP)

Sem emprego, Sofia Moncayo aproveita o tempo que tem para ajudar pessoas que passam por necessidades durante a pandemia. A líder de oração juntou sua equipe enquanto dezenas de nova-iorquinos faziam fila do lado de fora da igreja, na chuva e com carrinhos de compras prontos para serem abastecidos com alimentos arrecadados.

“Estamos muito gratos por essas pessoas aqui. Em nome de Jesus, nós oramos”, orou Sofia, enquanto seu grupo de mulheres aplaudia e respondia:" Amém". Em seguida, Sofia diz: "Agora, vamos trabalhar."

A equipe trabalhou por horas sem parar. Elas pegaram caixas pesadas, separaram milhares de itens e ainda removeram a neve do meio-fio. Apesar de estarem com frio, molhadas e cansadas, as mulheres estavam felizes pelo trabalho voluntário, sem remuneração, que estavam realizando para ajudar as pessoas.

Desemprego

Durante a pandemia do coronavírus, Moncayo começou a liderar o programa de distribuição de alimentos por meio da Mosaic West Queens Church no bairro de Sunnyside. A iniciativa começou em março de 2020 e ela assumiu o comando um mês depois, enquanto eles expandiam a distribuição de alimentos para centenas de pessoas.

Desde então, Moncayo passa por suas próprias lutas. Ela foi dispensada do trabalho em uma construtora e continua desempregada. A cristã também deve cinco meses de aluguel pelo estúdio de artes marciais que ela possui com o marido no bairro.

Apesar disso, Moncayo contina a liderar campanhas de arrecadação de fundos e coordenar dezenas de voluntários que distribuem mais de 1.000 caixas de alimentos para as famílias duas vezes por semana.

“Acho que ajudar os outros tem que afetar o seu cérebro quimicamente, porque se não estivéssemos fazendo tudo o que estamos fazendo, acho que este teria sido um momento muito mais assustador”, disse ela. “Ser capaz de aprofundar e ajudar os outros realmente dá a você uma perspectiva e o ajuda a acreditar que você também ficará bem.”

Voluntários

A maior parte da comida é doada por um restaurante do bairro e outras fontes. Também houve ajuda do Programa Farmers to Families Food Box, supervisionado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Moncayo, que nasceu na Colômbia, foi movida a ser voluntária por sua fé cristã por causa das lembranças da insegurança alimentar que enfrentou ao crescer em Nova York. Ela se lembrou de como se juntava à família nas filas para comprar pão e queijo nas despensas e como às vezes sentia vergonha.

“Uma das coisas que queríamos ter certeza é que não olhamos para as pessoas na fila da despensa como pessoas que precisam de comida, e realmente nos concentramos em pensar: ‘ei, estes são nossos vizinhos’”, diz.

Residente em Sunnyside, Carol Sullivan perdeu seu emprego de diretora de palco quando os cinemas da Broadway fecharam por causa do vírus. Ela hesitou no início em receber comida da despensa, mas disse que Moncayo e os outros voluntários a fizeram se sentir bem-vinda.

“Tem sido um vínculo com a comunidade que eu não tinha antes e também evita muita ansiedade por ter que ter dinheiro para pagar a comida em vez de ter que pagar as contas”, disse Sullivan.

veja também