Deus é culpado da tragédia na Região Serrana do Rio?

Deus é culpado da tragédia na Região Serrana do Rio?

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 2:28

E recusaram ouvir-te, e não se lembraram das tuas maravilhas, que lhes fizeste, e endureceram a sua cerviz e, na sua rebelião, levantaram um capitão, a fim de voltarem para a sua servidão; porém tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em beneficência, tu não os desamparaste. Neemias 9:17

Muitos têm colocado como ação de Deus o ocorrido na Região Serrana do Rio de Janeiro. Querem avivar na memória de tantos que Deus é um Deus justo e que reage com esta “justiça” para mostrar sua retribuição àqueles que não o seguem. É como se fosse um “toma lá, dá cᔠespiritual; fez o bem receberá o bem, fez o mal receberá o mal.

Mas será que é bem assim desse jeito? A Bíblia está repleta de textos que demonstram que Deus, mesmo sendo justo, é rico em perdoar, que tem enorme amor ao pecador, e por isso enviou Jesus. Será que esse mesmo Deus seria capaz de ceifar centenas de vidas?

A situação que acontece neste momento aqui na Região Serrana, onde também moro, não tem explicação. Tenho vivido aqui de perto, eu e minha família, sem sequer compreender se há algum significado espiritual para tanta tragédia. Famílias completamente dizimadas pela força da água, mortas num piscar de olhos. Crianças, idosos, grávidas, inclusive servos de Deus, fiéis a Ele, que serviam ao Senhor com alegria e sinceridade. O porquê, a resposta espiritual, a permissão de Deus para este ocorrido, só Ele sabe. Mas a ideia de um Deus vingativo, que muitos tentam passar com determinadas opiniões, fica difícil de aceitar.

O que mais me parece sobre quem coloca desta maneira é como uma desculpa para aplacar a sua própria consciência, por não querer se envolver para ajudar de alguma maneira: com as próprias mãos, enviando ajuda financeira ou material e até orando por aqueles que perderam tudo. Não me admiro, pois é desta forma que muitas igrejas têm se posicionado, pregando este evangelho da troca, de que se você der ou fizer isso Deus lhe recompensará, mas se não fizer, você ficará à sua própria sorte, abandonado por Deus. O povo, infelizmente, vive com medo, sofrendo quando não recebe a bênção que necessita, achando que não recebeu porque não atingiu a sua “cota” com Deus. É assim que Deus se relaciona conosco?

Peço desde já desculpas aos que pensam que foi um “castigo divino”, aos talvez mais espirituais que eu, mas todo ou qualquer julgamento pertence ao Senhor, e não a nós, pois Seus pensamentos não são os nossos pensamentos, e nem os Seus caminhos são os nossos caminhos (Isaías 55:8). Cabe a Ele, tão somente a Ele, a real razão de tudo o que está acontecendo aqui perto de casa. E a nós, cabe parar de buscar explicação naquilo que é inexplicável e exercitar o mesmo amor que Jesus teve por nós, procurando em nosso coração, onde habita o Espírito Santo, algo que possamos fazer para tentar amenizar a dor daqueles que sofrem, tirando de si próprio o julgo, o dedo que ameaça e o falar injurioso.

Deixo, por fim, a palavra do próprio Deus, a respeito não do que está acontecendo, mas daquilo que você pode fazer a partir de agora:

Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante? Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda; então, clamarás, e o SENHOR te responderá; gritarás por socorro, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tu a escuridão será como o meio-dia.

O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. Isaías 58: 6 a 11

Em Cristo,

Pr. Marcos Góes

Marcos Góes   é pastor, cantor, compositor e capelão da United Chaplains State of New York. Já viajou por todos os estados do Brasil, além de Estados Unidos e Europa. Prega o evangelho, ministra o louvor e é conferencista em congressos de adoração.   

veja também