‘Deus enxugou 14 anos de nossas lágrimas’, diz pastor pela gravidez da esposa estéril

O Pr. Serwadda Ronald e sua esposa Juliana testemunharam o milagre em sua igreja, em Kampala.

fonte: Guiame, com informações do UG Christian News

Atualizado: Sexta-feira, 5 Fevereiro de 2021 as 2:48

O casal e seu filho Elioenai na igreja. (Foto: Reprodução / UGCN)
O casal e seu filho Elioenai na igreja. (Foto: Reprodução / UGCN)

O pastor Serwadda Ronald Mukisa, que serve no Restoration Ministries International, em Kampala, capital de Uganda, testemunhou o milagre da fertilidade, ao lado da esposa Juliana. O casal, que não conseguia ter filhos, experimentou a intervenção de Deus com o nascimento do pequeno Elioenai após 14 anos.

“Foi em 28 de janeiro de 2019 quando Deus enxugou nossos 14 anos de lágrimas sem filhos”, disse ele ao seu público no Facebook.

O pregador revelou que seu filho de 2 anos, Elioenai, veio como resultado de uma oração respondida. O nome Elioenai significa "eu olho para Deus" e é de origem hebraica, explicou ele.

“Pode parecer muito tempo desde o dia em que você começou a esperar que Deus fizesse algo semelhante, não perca a esperança, Deus é capaz, Ele fará isso. Você deve ter a mesma música no nome de Jesus”, encorajou o pastor à sua audiência online.

Deus fez mais

Para o pastor Serwadda, a fidelidade de Deus não começou com o acolhimento de uma criança após 14 anos. Ele conta que experimentou a misericórdia divina no início dos anos 80, quando venceu as adversidades e superou a rejeição.

Ele foi abandonado na infância por sua mãe - que tinha uma condição de albinismo. “Ela me deixou com meu pai em Luwero no início da guerra. Eu tinha 2 anos”, disse ele, explicando que muitas coisas aconteceram, até ficar sem-teto.

“Eu tinha desenvolvido asma. Eu costumava ter ataques regulares, pois não tinha fundamentos. Eu dormia em um colchão feito de fibra de bananeira, depois ganhei um colchão feito de capim”, lembra.

Serwadda conta que não dormiu em um colchão de verdade até 2001, quando Deus o conectou a uma equipe de evangelistas e à boa samaritana chamada Ruth Muwanguzi, que o acolheu e o criou como seu próprio filho.

veja também