"Deus está com a gente" diz garoto que receberá transplante de medula

"Deus está com a gente" diz garoto que receberá transplante de medula

Atualizado: Quinta-feira, 3 Novembro de 2011 as 10:24

O dia do estudante Lucas Guizzardi, 10 anos, começou cedo, ontem. Ele acordou por volta das 5h10 e, ainda sonolento, vestiu blusão, calça e chuteira do time do coração, o Santos Futebol Clube. Os pais e a irmã de Lucas também estavam uniformizados: vestiam a camiseta da campanha por doadores de medula óssea com a foto do menino. "Hoje (ontem) é um grande dia. Deus está com a gente", resumiu a mãe de Lucas, a técnica em gesso hospitalar Rosimar Guizzardi, 36.

Lucas foi internado no Centro de Transplantes de Medula Óssea do Hospital São Camilo, no bairro da Pompéia, na Capital, por volta de 8h30. A unidade especializada no procedimento foi inaugurada em janeiro, após ampliação. Trata-se de uma das mais modernas do País, comparada a centros internacionais.

São 25 apartamentos, sendo que nove deles são totalmente adaptados para receber pacientes deste tipo de transplante, e são monitorados continuamente por câmeras de vídeo. Desde 2001, o hospital realizou 170 transplantes de medula óssea, sendo que em 2010 foram realizados 28 procedimentos.

Antes de fazer o transplante, Lucas precisa ‘matar' sua medula doente. Ele tem leucemia linfoide aguda, tipo de câncer que provoca crescimento incontrolável e acúmulo de células chamadas de linfoblastos. Elas perdem a capacidade de funcionar como células sanguíneas normais, afetando a produção de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas.

Durante seis dias, Lucas receberá altas doses de quimioterapia e sua imunidade ficará muito baixa. Por isso mesmo o transplante demorou a ser realizado, já que no inverno a chance de contrair infecções é maior.

A expectativa da família é de que o transplante ocorra na segunda-feira, dia do aniversário de Rosimar. O hospital não confirmou a data. A bolsa com a medula do doador, que foi colhida no dia 27, será transferida para o menino por meio de transfusão de sangue.

RISCOS

Até que a nova medula produza células sanguíneas em quantidade suficiente, Lucas ficará exposto a infecções e hemorragias. Quando a medula transplantada passa a funcionar ainda há risco, pois produz células do doador dentro do corpo de quem a recebeu, o que pode causar a doença do enxerto versus hospedeiro.

Neste caso, as células de defesa do organismo podem reconhecer órgãos da pessoa como estranhos e atacá-los como se fosse doença. Por isso, Lucas tomará medicamento para evitar a rejeição.  

PREPARATIVOS

Lucas se preparou para passar esse tempo no hospital. Além da mala arrumada pela mãe, fez questão de se despedir do cãozinho Spike. Na bagagem, além das roupas, levou o laptop que ganhou de presente do goleiro Aranha, do Santos, e o videogame. Na mão direita, um anel onde se lia ‘Jesus'.

A família é evangélica e tem muita fé. O pai de Lucas, o inspetor de qualidade Francisco Rodrigues da Trindade Neto, 38, disse que o filho dormiu com eles esta noite. "Vai dar tudo certo, temos certeza. E agradecemos o apoio de todos."

Lucas se despediu com a expectativa de que se recupere para realizar seu grande sonho: ser jogador de futebol.     Com informações do Diário do Grande ABC   

veja também