Diretor comenta o desafio de fazer de 'José do Egito' uma obra-prima

Diretor comenta o desafio de fazer de 'José do Egito' uma obra-prima

Atualizado: Quarta-feira, 23 Janeiro de 2013 as 4:22

 

Embora seja experiente como diretor-geral de grandes produções, Alexandre Avancini vive a ansiedade de um novato pela estreia de José do Egito.
 
A minissérie da Record estreia dia 30 de janeiro e o diretor fala com empolgação do desafio de surpreender com o trabalho.
 
Avec garante que a história é muito bonita e conta porque topou o projeto. "Eu conheço bem a história de José e vi nela a possibilidade de explorar o lado humano. É uma história que pega o espectador pela proximidade com as relações humanas. Relação pai e filho, irmãos... É uma das histórias mais bonitas da Bíblia. E José, na verdade, é um grande exemplo de retidão absoluta de caráter. Ele não abre mão nunca de suas crenças e convicções. Ele não vacila", diz ele.
 
alexandre avancini
 
Com um material de alta qualidade, o diretor adianta que o resultado está sendo satisfatório. "Está ficando muito bacana, viu? Eu estou muito feliz com o resultado. Novamente, com o apoio do Marcelo Silva, nós conseguimos trazer as câmeras Arri Alexa que fazem toda a diferença. Estamos com um material que é mais do que HD", explica.
 
As gravações da minissérie aconteceram também fora do Brasil. Chile, Israel e Egito foram cenários da produção.
 
Na entrevista, Avec comenta o diferencial das gravações no Egito. "Tenho quase certeza que isso é totalmente inédito na história da TV brasileira. O Egito não havia sido mostrado antes desta forma, com essa grandiosidade. Na Cidade Cenográfica, por exemplo, nós reproduzimos o Templo de Isis, que fica em Aswan. O de lá tem 18 metros de altura, e o nosso tem 15 metros. As proporções estão bem próximas. O empenho financeiro da Record em investir neste projeto precisa ser destacado. O Egito é uma sociedade muito rica e diferente."
 
 
com informações do R7
 

veja também