Diretora Nacional de Crianças Metodista conta sua experiência

Diretora Nacional de Crianças Metodista conta sua experiência

Atualizado: Quinta-feira, 28 Outubro de 2010 as 9:52

É fato: as crianças estão no nosso meio e fazem parte da família do povo de Deus. É até por isso que há a necessidade de que elas encontrem na Igreja um ambiente que lhes dê amor e que seja favorável para construir sua fé e partilhar sua espiritualidade, onde se sintam parte ativa e atuante para celebrar a fé e experimentar uma vida de intimidade com Deus. Para falar sobre o assunto, convidamos a Coordenadora do Departamento Nacional de Crianças da Igreja Metodista, Elci Lima.

Atualmente, segundo Elci Lima, o foco do Departamento Nacional é preparar crianças para participar da igreja por meio da educação cristã e propor atividades, para que as crianças possam participar e para que elas possam ter uma atuação efetiva na Igreja. “Hoje elas participam no culto, elas têm atividades para elas, mas o que nós queremos hoje é ouvir a fala das crianças, o que elas estão aprendendo, como estão os espaços que oferecemos e o que elas esperam. Dessa forma, elas vão aprendendo e participando da missão”, explica Elci.

De acordo com a coordenadora, o espaço da criança já está garantido. Para ela, o que a Igreja precisa aprender é cuidar das crianças de forma mais prática, para que se torne uma ação efetiva. “Muitas vezes queremos resgatar nossa infância que é diferente da infância de hoje. Temos que estar atentos ao mundo dela e ensiná-la no caminho de Deus”, diz Lima.

Para Elci, a Igreja deve pensar que sua comunidade é uma grande família, onde todos fazem parte do processo de desenvolvimento das ações. Baseado nisso, ela explica que toda criança deveria liderar o culto pelo menos um domingo no mês. “Nas celebrações de ceia, gostaria que fosse garantido um espaço para que a criança estivesse junto com a comunidade”, dá como exemplo, a coordenadora.

“É por isso, que orientamos que a criança tenha sim seu espaço à parte, onde ela recebe uma mensagem mais direcionada, mas nós também gostaríamos de ver a criança no culto da noite, participando”, diz Lima.

Segundo Lima, o Departamento ainda tem uma preocupação com as crianças de dentro e forma da comunidade cristã. Para ela, hoje as crianças têm bastante informação, mas não tem uma família estruturada, o que prejudica em muito em seu crescimento. Dessa forma, a Igreja entraria como uma resposta a esse cenário. Um exemplo disso é a própria Escola Dominical, um espaço também de educação. “Hoje a família não tem sido um centro de referência para educação da criança. Se elas não têm a Palavra, elas buscam em quem oferece o que é uma situação de risco”, lamenta.

“Nós temos que chegar a essas crianças com amor e ensinar tudo, Palavra, valores e dar todo o suporte que ela não tem dentro da família. O espaço de diálogo é muito importante”, finaliza Elci.

veja também