Documento mundial sobre reavivamento é lido para 2,5 mil pessoas

Documento mundial sobre reavivamento é lido para 2,5 mil pessoas

Atualizado: Quarta-feira, 22 Dezembro de 2010 as 11:44

Com transmissão via Internet, “Chamado Urgente por Reavivamento, Reforma, Discipulado e Evangelismo”, documento mundial votado pela Igreja Adventista em várias instâncias, foi lido para 2,5 mil pessoas. O culto aconteceu em duas sessões, sábado, 18 de dezembro. No auditório, a presença de Alexia Stefani Alexandre, 13 anos. Há quinze dias, ela se batizou na Igreja do IASP (UNASP, Hortolândia, SP), depois de receber no portão de sua casa, o livro missionário do ano.

O sermão foi realizado a “quatro mãos” pelo pastor titular da igreja, Heber Mascarenhas e Alexandre Modesto que se despede da Igreja do IASP como pastor dos jovens. Para atender ao grande número de pessoas, os diáconos (oficiais eleitos para servir a comunidade) montaram uma estratégia especial de distribuição.

Além do impresso, o público recebeu livro “O Tempo é Este – O Momento é Agora”, de 72 páginas, com textos bíblicos e o plano do Ano Bíblico para 2011. O projeto de 4,8 mil impressos teve subvenção de um empresário local. (Para acessar o documento oficial, clique no banner próprio, em flash, www.portaladventista.org).

Diante dos grandes desafios evangelísticos, líderes mundiais da denominação conclamam os 17 milhões de adventistas do sétimo dia para “viver e proclamar a mensagem de amor e verdade para os últimos dias do mundo”, segundo o livro de Apocalipse 14. A leitura durante o culto destacou trechos bíblicos e boxes como “Nossa Grande Necessidade: Reavivamento e Reforma”. Antes, a Orquestra e Coral Chorus Dei, interpretou “Sanctus” de Charles Gounod.

Neste ponto do culto, o pastor Mascarenhas ressaltou a diferença entre “reforma” e “reavivamento” como dois conceitos diferentes.  O primeiro significa uma reorganização e mudança de hábitos, ideias, teorias e práticas. Enquanto o segundo é renovação, avivamento, “uma ressurreição da vida espiritual”, pregou. Porém, alertou o pastor, “não existe reforma sem reavivamento. Ambas precisam fundir-se para que o compromisso com Deus seja efetivo”.

 O culto terminou com compromisso e apelo. “Às vezes, na intensa busca por fazer boas coisas, temos negligenciado o mais importante: buscar a Deus em primeiro lugar, reconhecer com humildade os limites humanos e implorar pelo poder do Espírito Santo”. A Igreja se despediu após cantar e orar dedicando-se para cumprir a Comissão Evangélica dada por Cristo.

Por Jael Eneas

veja também