Duas mulheres britânicas que reivindicam o direito de usar símbolos de sua fé cristã no trabalho

Tribunal quer proíbir uso de crucifixos por cristãos

Atualizado: Quarta-feira, 14 Março de 2012 as 2:18

Após ser suspensa do trabalho em 2006 por recusar a tirar a cruz que usava no pescoço durante seu período de trabalho, a britânica Nadia Eweida, agente de check-in da Britsh Airways, tem promovido uma campanha para enfatizar o direito dos cristãos de usarem símbolos religiosos, alegando que praticantes de outras religiões podem expressar livremente suas crenças.

Segundo o Christian Post, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos, também denominado Tribunal de Estrasburgo, irá analisar os caso de Nadia e de outra britânica que reivindicam o direito de usar símbolos de sua fé cristã notrabalho, como cruzes ou crucifixos.

O governo, bem como os tribunais britânicos, se posicionou contra o uso de objetos religiosos no ambiente de trabalho e com isso estabeleceu um conflito com as igrejas católica e anglicana.

O antigo arcebispo de Canterbury, Lord Carey, um dos mais engajados defensores dos uso de símbolos religiosos, disse que “é uma ironia quando governo e tribunais dizem que a cruz é uma questão insignificante. Isso a torna um símbolo ainda mais importante para a expressão da fé cristã”.

veja também