Durvalina Bezerra fala sobre o espaço e o valor da mulher na sociedade e na Igreja

Durvalina Bezerra fala sobre o espaço e o valor da mulher

Atualizado: Sexta-feira, 8 Março de 2013 as 2:20

 

A mulher já sofreu muita repressão até os dias de hoje. Atualmente, em muitos países, as mulheres têm direito a dirigir, a votar, a trabalhar e receber salário, a se candidatar a cargos políticos, até mesmo ao de Presidente, como no Brasil.
 
O que hoje parece comum, não era há alguns anos atrás. O movimento feminista, aos poucos, deu voz à mulher na sociedade.
 
Na Igreja não é diferente, cada vez mais mulheres têm se destacado como líderes e representantes cristãs.
 
Durvalina Bezerra é Diretora do Seminário Betel Brasileiro em São Paulo e é referência quando o assunto é missões. Ela nunca foi casada, não é mãe, mas é um exemplo de mulher que dedica sua vida ao trabalho pelo Reino de Deus.
 
Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a missionária Durvalina falou, em entrevista exclusiva ao GUIAME, sobre alguns temas relacionados à vida da mulher cristã. Confira a entrevista:
 
Crescimento do espaço da mulher na Igreja
 
durvalinaEssa proibição da fala da mulher, de assumir cargos e ofícios dentro da igreja mudou muito. Da década de 60 pra cá, o movimento feminista contribuiu porque abriu espaço para a fala da mulher, abriu espaço para a mulher na sociedade. Hoje temos a mulher presidente da República, temos a mulher dentro das Forças Armadas, com funções altas dentro de empresas. Essa evolução da valorização do ser feminino atingiu a Igreja.
 
Há igrejas mais conservadoras que ainda têm restrição ao pastorado e à liderança geral, ainda assim há mais oportunidades para as mulheres, mesmo que com algumas restrições.
 
As igrejas da linha pentecostal têm aberto. A Assembleia de Deus, por exemplo, não ordena pastora, mas ordena missionária.
 
As igrejas neo pentecostais abriram de uma forma muito ampla, as mulheres estão no pastorado e na liderança. O que eu lamento é que a mulher, quando assume liderança, parece que tem a preocupação de imitar o homem. Essa postura masculinizada não é boa, ela podia continuar na sua feminilidade porque Deus nos fez diferentes e expressar muito mais o amor e a graça de Deus com esse traço da maternidade e da feminilidade que é próprio do ser mulher.
 
Outra coisa que eu lamento é que há mulheres que esperam que a igreja abra espaço na liderança pra ela poder atuar. A atuação da mulher não quer dizer apenas assumir pastorado, a mulher tem muitas possibilidades dentro da igreja como líder de departamento, professora, dirigente de célula, intercessora, tem muito para se fazer dentro da igreja que não é no púlpito.
 
A relevância deve ser o cumprimento da missão e isso está atrelado aos dons. A mulher precisa descobrir seus dons e exercer sua missão dentro e fora da igreja. A mulher tem que buscar capacitação e a abertura é imensa, o maior percentual nas universidades é de mulheres.
 
Emoção a favor da mulher
 
A competência no trabalho não pode ser menor, nem desqualificada, tem que fazer o melhor e muitas mulheres estão se destacando.
 
O psiquiatra francês Paul Tournier tem uma fala interessante de que a mulher tem que humanizar o mundo. Humanizar o mundo porque ela tem essa sensibilidade, ela não é só racional. A mulher é mais coração e o homem é mais razão. Ela tem que colocar a emoção como um adesivo, como um adicional, pôr esse lado feminino para fazer sua atuação ser diferente.
 
Importância da unidade entre homem e mulher
 
A criação divina é perfeita e Deus a avaliou como boa. A sociedade tem que ter a presença do homem e da mulher, juntos eles são humanidade. Se essa humanidade reflete o ser divino, o ser divino é homem e mulher.
 
Deus não pode ser visto apenas com a característica de homem, essa herança do machismo causa dificuldade em ver Deus-mãe, mas Deus se apresenta como mãe várias vezes no antigo testamento: “como uma mãe não se esquece do filho...” (IS 49.15). Na criação, Deus deixa transparecer essa beleza da mutualidade. Deus-homem e Deus que se revela com características de um ser mulher com seu amor, na sua facilidade de relacionamento e comunicação.
 
Olhando a criação é impossível ver uma igreja só de homens, não ia revelar a pessoa divina de Deus em sua plenitude. Essa plenitude é revelada na igreja quando o homem e a mulher têm seu espaço, seu relacionamento em unidade. A mulher tem que servir junto para que o homem possa ser completado na sua forma de trabalhar e também na variedade dos dons.
 
Países em que as mulheres ainda são desprezadas
 
Essas diferenças estão atreladas à questão cultural. A cultura do Oriente é bem mais fechada para a mulher do que no Ocidente. As mulheres do Oriente são muito mais desprezadas. O islamismo é a religião que é inserida na sociedade e define a ética, a justiça e a cultura do povo. A mulher islâmica está muito distante dessa evolução que eu citei no início. No Ocidente, a mulher lutou e avançou, mas no Oriente há dificuldades muito maiores.
 
Confesso que acho muito difícil essa abertura para a mulher oriental. Eu queria ter esperança, mas, infelizmente, não tenho por causa do radicalismo e fundamentalismo islâmico.
 
Carreira cristã, preconceito e dificuldades
 
Eu trabalho no Betel há 38 anos, o Betel é uma instituição de referência no Brasil, para a Glória de Deus. O Betel nasceu com uma liderança feminina para preparar mulheres, no início era
 
um internato só para mulheres. Em 1968 ele se tornou Brasileiro e quem assumiu foi uma mulher que tinha sido aluna e na época era professora, depois Deus falou com ela e o Betel abriu para homens e hoje a maioria de alunos são homens na liderança de mulheres. Deus levantou mulheres para treinar líderes. Pelo fato de a minha precursora, dona Lídia, ter enfrentado lutas, eu entrei na porta que ela abriu. O Betel hoje não sofre esse preconceito por causa de seu histórico. Deus levantou essa instituição para ter exatamente esse perfil.
 
Deus me deu a graça de ter um ministério ‘itinerante’ aos fins de semana, no qual eu atendo igrejas, conferências, palestras. As igrejas, em sua maioria, me recebem no púlpito. Quando me sinto um pouco à parte e pareço não estar ‘ombro a ombro’ é quando estamos trabalhando com lideranças. Não há rejeição, mas sinto que a voz não fala tão forte. É uma coisa bem ‘entrelinhas’ que a igreja tem procurado mudar, mas ainda é um pouco destoante. O que faz superar é a certeza de Deus escolheu. Eu não fui lá me convidando, me convidaram, eu não fui lá com intenção de sobrepor-me a ninguém, fui para servir.
 
O trabalho das mulheres missionárias
 
A força missionária no mundo é maioria mulher. De cinco missionários, três são mulheres. Hoje as dificuldades são menores que 50 anos atrás. A dificuldade a ser enfrentada vai depender do campo, se a mulher estiver ali para desbravar um campo virgem, a dificuldade será saber se a sociedade a aceita como desbravadora
 
Quando Charles Studd começou seu trabalho no campo, no século XIX, ele contava mais com a bravura das mulheres porque elas eram corajosas. A mulher tem a fragilidade física, mas revestida da fé e da graça de Deus ela é corajosa.
 
A dificuldade vai depender de a cultura local aceitá-la como uma mensageira de Deus. No mundo islâmico, por exemplo, a mulher tem que trabalhar só com mulheres e tem que começar o trabalho com alguma ocupação que lhe dê oportunidade de se envolver porque ela também não pode chegar e pregar abertamente.
 
Imagem feminina deturpada e o resgate do valor da mulher
 
mulherEssa imagem da sensualidade, da superficialidade, da mulher sexy, essa desvalorização do ser a gente encontra na sociedade como produto da pecaminosidade. Uma mulher cristã tem que fazer diferença. Alguns anos atrás essa diferença era buscada nos usos e costumes, santidade era não usar blusa sem manga, decote, cabelo curto. Essas exigências foram perdendo a importância porque a santidade não é refletida através disso. Evidentemente espera-se bom senso da mulher: “Meu decote está provocante?” “Usar essa calça tão apertada delineando meu corpo está sendo bom?” “Eu quero ser atraída pela minha silhueta?” Não podemos ser radicais em usos e costumes, mas também não podemos perder o bom senso.
 
A mulher cristã que entende o que é bom senso, porque tem algumas que não entendem, tem que ter bom senso. Se ela é uma mulher de Deus, ela tem que buscar a ótica de Deus na sua forma de ser e de fazer. Ela deve buscar atrair os homens com seus valores porque o que a sociedade de hoje precisa são pessoas de valores e valor quer dizer postura ética, amor ao próximo com doação da vida.
 
O que eu digo para as mulheres é: Busque ser uma mulher de Deus, não preocupada com a aprovação dos homens. A nossa conduta vai ser avaliada pelos homens, eu fui e estou sendo avaliada na minha forma de ser e fazer, mas reputação não é o caminho que a gente deve buscar para ser uma pessoa de valor, o que faz uma pessoa de valor é o caráter. Eu posso ter uma boa reputação porque ninguém fala mal de mim, mas eu sei onde eu falho, eu posso não estar falhando com minhas obrigações na igreja, mas estou falhando com minha família em casa... Antes da reputação vem o caráter.
 
O alvo do Betel é “até que Cristo seja formado em vós” (Gal. 4.19). Cristo formado não é reputação, é caráter. Não é o meu caráter reformado, não é minha tentativa de ser boazinha ou santinha, não é minha tentativa de aparentar algo por minha vestimenta ou educação, é o caráter de Cristo. Cristo em nós são os valores e os princípios do Reino de Deus formados pelo Espírito Santo em nosso interior, até que Cristo seja formado em nós. Aí então a mulher vive com autenticidade, sem se preocupar em competição com os homens porque ela sabe quem ela é, sem se preocupar em assumir cargos e ofícios porque ela sabe o que Deus põe na mão dela pra fazer.
 
Hoje, as mulheres estão querendo elevar a autoestima. Várias mulheres já vieram me falar ‘vai na minha igreja falar sobre autoestima’. Autoestima é você se valorizar em Deus. Eu não preciso me sentir bem olhando para dentro de mim, eu me sinto bem porque tenho o foco em Deus e Deus em mim é meu valor.
 
Mensagem pelo Dia da Mulher
 
Quero deixar uma palavra de congratulações pelo Dia Internacional da Mulher. A você, mulher, parabéns pelo seu dia. Parabéns por ser mulher e, muito mais, por ser mulher de Deus. Deus abençoe você!
 
 
GUIAME.COM.BR
www.betelbrasileiro.com.br

veja também