E-book: Algumas lições das cartas de Paulo aos Coríntios

E-book: Algumas lições das cartas de Paulo aos Coríntios

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 8:08

A segunda carta de Paulo aos Coríntios é uma carta que ele escrevera para a Igreja de Corinto em um momento delicado que ela estava vivendo. É uma das cartas que, de um modo muito bonito, traz a revelação de como investir no Reino de Deus no sentido de entregar ao Senhor os dízimos e as ofertas. São treze capítulos, sendo que dois capítulos deles – o oito e o nove - falam exatamente da necessidade de ofertarmos, honrando ao Senhor. Veja o que dizem os versos 1 a 15 do capítulo 8: “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, 6 no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade. Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários, pedindonos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência dos santos.

E não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor, depois a nós, pela vontade de Deus; o que nos levou a recomendar a Tito que, como começou, assim também complete esta graça entre vós. Como, porém, em tudo, manifestais superabundância, tanto na fé e na palavra como no saber, e em todo cuidado, e em nosso amor para convosco, assim também abundeis nesta graça. Não vos falo na forma de mandamento, mas para provar, pela diligência de outros, a sinceridade do vosso amor; pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos.

E nisto dou minha opinião; pois a vós outros, que, desde o ano passado, principiaste não só a prática, mas também o querer, convém isto. Completai, agora, a obra começada, para que, assim como revelastes prontidão no querer, assim a leveis a termo, segundo as vossas posses.

Porque, se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem e não segundo o que ele não tem. Porque não é para que os outros tenham alívio, e vós, sobrecarga; mas para que haja igualdade, suprindo a vossa abundância, 7 no presente, a falta daqueles, de modo que a abundância daqueles venha a suprir a vossa falta, e, assim, haja igualdade, como está escrito: O que muito colheu não teve demais; e o que pouco, não teve falta.” Interessante que no capítulo 9, a partir do verso 6, Paulo continua trazendo a revelação do momento precioso de adorar ao Senhor com as ofertas. No verso 6 lê-se: “E isto vos afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará.” Paulo não estava dizendo para semearmos arroz, feijão ou algo parecido, mas dinheiro.

Claro que não se trata de plantar dinheiro como se planta arroz ou feijão. É uma semeadura espiritual. Aquilo que você recebe é algo que Deus tem dado como semente para você semear. A grande dificuldade de alguns é que em vez de semearem uma parte da semente, comem-na toda, não tendo mais como colher, pois nada fora semeado. A décima parte de tudo o que Deus nos dá é o dízimo, que deve ser entregue ao Senhor      Clique aqui para ler  

veja também