É ditadura gay, sim!

É ditadura gay, sim!

Atualizado: Segunda-feira, 11 Março de 2013 as 5:59

 

gaysO final de semana foi marcado por manifestações contra Marco Feliciano em algumas cidades brasileiras. Mas vamos analisar o tipo de manifestação.
 
O que dizer de uma manifestação em que homossexuais vestem uma estátua de Cristo com uma bandeira gay? É uma manifestação por Direitos Humanos? Não! É uma manifestação por direitos gays.
 
Pior do que isso é perceber que esses direitos não são baseados no fato de ‘Tenho direito de ser gay’, até porque cada um tem direito a ser o que quiser, os direitos requeridos são: ‘Tenho direito de ser gay e não admitir que ninguém pregue contra’; ‘Tenho direito de ser gay e considerar preconceito qualquer tipo de violência, mesmo em cidades tão violentas, só porque sou homossexual; ‘Tenho direito de ser gay e de fazer baderna toda vez que alguém ameaçar meus “direitos”, principalmente se for um evangélico’.
 
O ‘famoso’ ex-BBB Jean Wyllys, hoje deputado federal (PSOL-RJ), é quem lidera a luta por tais direitos na Câmara.
 
Junto com Wyllys, os ativistas gays escondem-se atrás do termo minorias para saírem na mídia como coitados.
 
Engraçado é que quem sempre teve o governo contra foram os evangélicos. Há tempo que os homossexuais têm apoio do partido político que governa o país.
 
Mais engraçado é ver tantos ‘evangélicos’ entrando na onda dos protestos contra Marco Feliciano, sem perceber que estão fomentando, na verdade, a batalha gay contra o pastor.
 
Ok, posso não concordar com todos os pensamentos de Feliciano, e nem estou escrevendo para defendê-lo, mas assino embaixo de sua afirmação: “Vivemos uma ditadura gay”.
 
A verdade é que, se façam os homossexuais de coitados ou não, sintam-se ameaçados ou não, o Evangelho em que eu e Marco Feliciano cremos é o Evangelho que não condena os homossexuais, mas condena a prática homossexual. Portanto, eu tenho o direito de não ser a favor disso.
 
 
João EV*
 

veja também