Edir Macedo explica como estreitar a comunhão com Deus

Edir Macedo explica como estreitar a comunhão com Deus

Atualizado: Quinta-feira, 17 Novembro de 2011 as 12:40

Durante a programação desta última quarta-feira (16), da IURD TV, bispo Edir Macedo falou a respeito do vídeo "Diabo arranca coração de ex-obreiro", postado no dia 13 de novembro no blog dele, no qual recebeu diversos comentários de pessoas afastadas, que querem voltar para Deus. O bispo, também destacou a importância dos obreiros cuidarem da vida espiritual e não caírem nas armadilhas do mal.

"Eu vi o que muitos ex-obreiros escreveram, são pessoas que um dia estiveram na fé, mas se deixaram levar pelos problemas e voltaram para o mundo. A imagem mostrada não é para fazer terrorismo, mas, sim, para trazer a todos uma reflexão", disse.

"Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la? E tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido." (Lucas 15; 8-9)

Citando a passagem bíblica acima, o bispo explicou: "Quando tratamos de fé, não abordamos religião, mas falamos de vida e salvação eterna, que são tesouros inesgotáveis. Por que a mulher citada no versículo estava tão aflita para encontrar o que tinha perdido? A dracma não era algo muito valioso, mas naquela época significava o compromisso que a moça tinha com o rapaz, como se fosse um noivado; se ela saísse à rua sem a sua dracma significaria que não estava levando o compromisso a sério, que era uma pessoa relaxada. Ela ascendeu a luz e varreu a casa, isto é, tomou uma atitude. Existem muitas pessoas perdendo a fé dentro das igrejas por conta de picuinhas entre obreiros e pastores."

Para finalizar a mensagem, o bispo alertou a todos: "Não podemos relaxar, esse tipo de relacionamento é o que mantém o colar das dracmas inteiro, se a pessoa relaxa no seu sacrifício ela vai perder as suas dracmas e acabará interrompendo sua aliança com Deus."

Obreira e endemoniada Após as palavras do bispo Macedo, a participante identificada apenas como Rita, que aguardava o atendimento espiritual feito diariamente pelo bispo Clodomir Santos e pelo bispo Sergio Correa, caiu em prantos, impactada pela força da mensagem. "Eu sou essa dracma perdida que o bispo falou", comentou Rita.

Ex-obreira, ela relatou que se afastou da Igreja Universal do Reino de Deus por causa de uma decepção sentimental e, desde então, não teve mais paz. Após a oração com imposição de mãos feita pelo bispo Clodomir, espíritos malignos se manifestaram no corpo dela e confessaram ser os causadores das aflições de Rita. Para surpresa de quem acompanhava pela IURD TV e também pela rádio Rede Aleluia, as forças opressoras ainda fizeram questão de ressaltar que estavam dentro dela mesmo quando ela era obreira.

"Você está livre, eu lhe liberto. Logo, você estará mostrando o rosto e contando o que Deus fez na sua vida, porque será muito usada por Deus nessa guerra contra o inferno, pra resgatar outras dracmas perdidas. E tem mais: se o seu nome tinha sido apagado do livro da vida, agora ele foi reescrito", determinou o bispo Clodomir Santos.

Caravana do Resgate

Para resgatar milhões de afastados espalhados pelo Brasil, que também desejam voltar, mas encontram-se perdidos, assim como Rita estava, bispo Sergio Correa, atual responsável pelos obreiros do País, anunciou que no dia 03/12, em Minas Gerais, acontecerá a primeira concentração de fé da "Caravana do Resgate". O encontro se repetirá durante todo o mês de dezembro nos seguintes dias e estados: 04- Porto Alegre; 09- São Paulo- no sambódromo do Anhembi-; 10- Ceará; 11- Pernambuco; 16- Bahia; 17- Amazonas e dia 18 no Pará.

Os demais estados receberão a caravana a partir de janeiro de 2012. Para mais informações, assista diariamente o programa "Obreiros em foco", que vai ao ar pela IURD TV, às 22 horas. "Obreiro, não perca essa chance de se fortalecer. E você, ex- obreiro, de voltar para os braços do Pai", convida o bispo Sergio.

Acompanhe a mensagem do bispo Macedo na íntegra:      

veja também