Edmilson Mendes: Colunista do Guiame fala sobre chamado e fim dos tempos

Pastor da Igreja Adventista da Promessa, Edmilson Ferreira Mendes diz que manter-se fiel às escrituras fará toda diferença na caminhada de fé.

Fonte: Guiame, Adriana BernardoAtualizado: terça-feira, 30 de novembro de 2021 20:28
Edmilson Ferreira Mendes pastoreia a IAP do Parque, em Campinas (SP). (Foto: YouTube / IAP do Parque)
Edmilson Ferreira Mendes pastoreia a IAP do Parque, em Campinas (SP). (Foto: YouTube / IAP do Parque)

Colunista do Guiame, Edmilson Ferreira Mendes tem uma trajetória que se pode chamar de longa no Evangelho, já que sua conversão foi aos 18 anos e, desde então, ele se diz “um apaixonado pela palavra e pelos caminhos da fé”. Hoje, aos 57 anos, pastoreia a Igreja Adventista da Promessa (IAP), em Campinas, interior de SP, com 250 membros.

Formado em Teologia no SPS (Seminário Presbiteriano do Sul), em Campinas, o Pr. Edmilson diz que, assim como todo cristão, luta a boa luta da fé, bebendo diariamente da Graça de Cristo e com esperança aguardando sua vinda. “Até lá, trabalhando e orando para que um número cada vez maior de pessoas venha ao conhecimento e recebimento da salvação que Ele deixou para todos”, enfatiza.

Pastor voluntário, Edmilson conta que ama escrever e tem como inspirações, na literatura cristã, os autores Eugene Peterson e Philip Yancey. “Os livros de ambos sempre me inspiraram e me ajudaram em muitas escolhas que fiz”, justifica o pastor, que escreve semanalmente no portal Guiame a mais de 10 anos.

Como leitor assíduo, Edmilson cita outros autores cujos livros marcaram sua jornada ministerial, como Charles Swindoll, C.S. Lewis, Agostinho e Genésio Mendes.

Formado em Comunicação e Desenho Artístico, além de escrever, o pastor diz que ama pregar, palestrar, proclamar o evangelho para todo tipo de gente e público, velhos, adultos, crianças, casais, jovens.

Edmilson diz que um dos versículos que o inspira é Filipenses 1:6, “porque gosto de ter a consciência que nenhum de nós é um produto acabado, estamos sendo formados por Ele, somos obra da soberania dEle”.

Ainda sobre a Palavra de Deus, o pastor revela que uma passagem que o confronta são “as bem-aventuranças nos evangelhos, pois ali temos tudo que precisamos para se viver uma boa vida, igualdade, justiça, consolo, graça, misericórdia, paz”. Ele explica que “tudo isso é bom, mas certamente são temas que nos confrontam a cada dia, levando-nos a uma constante vigilância a fim de vermos o reino entre nós”.

Pastor Edmilson Mendes e sua esposa Regina. (Foto: Arquivo pessoal)

Casado a mais de trinta anos com Regina, com quem tem dois filhos, Edmilson declara muito amor por toda família, que agora tem dois netos – Theo e Joaquim. E uma linda neta a caminho, a Bella, derrete-se o pastor, que é fã e de “uma boa partida de futebol e também de um bom filme”.

Acompanhe a entrevista concedida pelo pastor exclusivamente ao Guiame:

GUIAME: Quando o Sr. entendeu ou descobriu que tinha um chamado ministerial?

EDMILSON MENDES: Minha conversão se deu aos 18 anos, entre os 25 e 28 o chamado já ardia em meu coração, nesta época já viajava por todo o Brasil levando o Evangelho.

G.: Como foi sua reação com esse novo rumo que sua vida tomaria?

E.M.: Confiança define. Me entreguei totalmente nas mãos de Deus para ele fazer a Sua vontade.

G.: Como foi início de vida ministerial?

E.M.: Até hoje sou pastor voluntário. Mantenho minhas atividades profissionais ao mesmo tempo que sirvo a Cristo no pastoreio. O início foi e continua intenso, em tudo vejo a boa mão de Deus me dando saúde, energia e força para perseverar e continuar.

G.: O Sr. se descreve um observador da vida. O que isso significa?

E.M.: Desde muito cedo gostava das artes referentes a desenho e pintura, assim como escrever. Penso que essas características trazem consigo o detalhe da observação, pois é da observação da vida que surgem temas, reflexões, imagens. E qual vida? Todas que me cercam, a vida de uma família, de uma empresa, de uma comunidade local, de um casal, de um grupo, de estranhos, da universidade, de pessoas em seus momentos de lazer, nas praças, nos hospitais, nos velórios, nas festas.

G.: Sua família é participante do ministério ao seu lado. Qual a importância disso?

E.M.: Minha esposa e filhos são participantes ativos. A importância está no fato de que a simples presença deles, voluntária e prazerosa, autentica muitos conteúdos da pregação. Meus filhos cresceram, casaram e sou muito grato a Deus, pois desde quando atingiram idade e maturidade para escolher seus caminhos, escolheram a Cristo e, para minha alegria, escolheram continuar caminhando com a gente em muitas viagens, em festas, em lutas, em fé.

Pastor Edmilson Mendes e o netinho Theo. (Foto: Arquivo pessoal)

G.: O Sr. é escritor, pode citar alguns livros de sua autoria?

E.M.: O primeiro foi “Adolescência Virtual”, depois vieram “Por que esta geração não acorda?”, “Caminhos”, “Aliança”, “Tesouro”, “Balada No. 1”, entre outros nos quais participei com alguns capítulos.

G.: Como o Sr. vê o ministério pastoral em nossos dias, especialmente em tempos de pandemia?

E.M.: Com os desafios de sempre. A pandemia trouxe o fato novo do distanciamento, das lives, mas fico feliz por testemunhar uma moçada que arregaçou as mangas e foi pra cima junto a seus pastores. Estamos todos aprendendo e superando os naturais obstáculos.

G.: Quais têm sido o foco da Igreja atualmente?

E.M.: Em todo o tempo, não apenas agora, a ênfase que procuro em todos os ministérios da igreja é na centralidade do evangelho, pois ele sempre será o poder de Deus para a salvação.

G.: Quais as principais atividades da igreja que o Sr. pastoreia?

E.M.:  Proclamação e ação social junto a uma ONG que atende menores em condições vulneráveis.

G.: Um dos princípios da IAP é o evangelismo. Como o ministério tem feito para manter esse princípio diante de tantos desafios atuais?

E.M.: Grupos de estudo on-line é o que dá, à medida que as coisas forem voltando os grupos presenciais retornarão.

G.: Como o Sr. avalia os rumos da igreja em nosso país?

E.M.: Infelizmente vejo muitas seguindo por caminhos bem distantes do evangelho. Fé como negócio, ídolos humanos, vaidades do mundo gospel, progressismo e liberalidades invadindo os espaços de culto, carnalidade das mais variadas formas. Graças a Deus ainda temos muitas igrejas sérias, bíblicas e tementes a Deus.

G.: A IAP atua no meio digital. Como o Sr. avalia essa forma de relacionamento entre a igreja e as pessoas?

E.M.: Fundamental, pois é um caminho sem volta. Precisamos nos atualizar sempre, pois as mais variadas plataformas trazem evidentes oportunidades de evangelização.

Pastor Edmilson Mendes e o netinho Joaquim. (Foto: Arquivo pessoal)

G.: Que tipo de postura o Sr. acha fundamental que os cristãos tenham em nossos dias?

E.M.: Viver o que pregam. Testemunhos verdadeiros sempre falarão mais que qualquer discurso bonitinho.

G.: Como conciliar a vida familiar com a ministerial e a profissional?

E.M.: Respeitando o tempo e o lugar de cada um.

G.: O Sr. é um pastor bastante experiente, na sua opinião, quais são os principais desafios que um ministro encontra em nosso tempo, o século 21?

E.M.: Sem dúvida as pautas e narrativas liberais, é neste campo de batalha que teremos de anunciar o evangelho eterno com relevância.

G.: Diante de tudo o que estamos vivendo, o Sr. acredita que estamos nos finais dos tempos? Por quê?

E.M.: Sim, acredito. O motivo se deve às profecias bíblicas e todos os sinais apontados por Cristo e os apóstolos. Creio que estamos vivendo no recorte histórico que podemos chamar de “princípio de dores”. Quanto a quantidade de anos, não me arrisco, não dá pra marcar datas. Por exemplo: se for daqui 100 anos, podemos achar muito, mas para a história do mundo 100 anos seria o “finzinho”, enfim, não me atrevo nesta seara de datas.

G.: Que mensagem o Sr. acha relevante em nossos dias?

E.M.: Fidelidade. A promessa bíblica continuará ecoando até o último dia da história: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida!”. Vivemos numa geração cuja maioria tem a marca da infidelidade nos negócios, nos contratos, nos relacionamentos. As tentações são muitas, as armadilhas que seduzem e enfraquecem a geração atual são eficazes e incansáveis. Manter-se fiel as escrituras é o desafio, é urgente, é transformador e fará toda diferença na caminhada de fé de cada adorador.

Informações sobre a IAP do Parque podem ser obtidas pelos meios:

Site: iapdoparque.org.br

Canal da Igreja no YouTube: iap do parque

Ministério jovem no YouTube: basej

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições