Egípcios lotam igrejas após queda de Mubarak

Egípcios lotam igrejas após queda de Mubarak

Atualizado: Segunda-feira, 28 Fevereiro de 2011 as 2

Deus está abalando as nações do mundo árabe e agora é o tempo que as pessoas vão ouvir o Evangelho. Depois que o presidente do Egito, Hosni Mubarak, foi expulso do poder, os crentes no país estão esperando por uma nova era de liberdade, não apenas em seu próprio país, mas em todo o mundo árabe.

A revolução tem sido difícil, admite Abdul Al-Latif, Christian living em Cairo, capital do Egito, onde centenas de pessoas passaram semanas protestando contra o regime.

Desde a queda de Mubarak, os militares têm governado o país. "Geralmente dizemos que temos medo das dificuldades, mas foi a dificuldades que trouxe a bênção, que nos tornou mais fortes em nossa fé", diz ele.

Sua esperança é compartilhada por Mohklis Amin, um membro da equipe egípcia, braço Arab World Ministries. Em entrevista a rádio UBC, Mohklis disse que a igreja tem uma grande responsabilidade de compartilhar o Evangelho no novo Egito.

"Por muitos anos, o espírito de temor dominou nosso país. As pessoas não se atreviam a falar de Cristo em público, com os seus vizinhos e amigos, pois tinham medo de serem presos", disse ele.

"Agora nós podemos orar para que o Senhor nos dê a liberdade para dar anunciar uma palavra boa e de esperança a uma nação faminta".

Al-Latif disse que as manifestações mostraram que a segurança não pode ser encontrada em um governo ou em seu saldo bancário, mas somente em Jesus Cristo. "Os cristãos começaram a ir à igreja todos os dias, inclusive para orar pela manhã", disse ele.

"Quando eu chamo o povo, eles dizem que a igreja já está cheia, às sete horas da manhã. As pessoas se reuniram para orar pela igreja, líderes cristãos, muçulmanos, país. Talvez isso nunca aconteceria se não fosse essa tragédia".

Sob a liderança desses regimes autoritários, as atividades da igreja têm sido restritas e evangelismo tem sido praticamente impossível.

Agora, os cristãos esperam novas ordens para substituir o antigo regime, para um novo baseado nos princípios democráticos de igualdade para todos os cidadãos, incluindo a igualdade e a liberdade religiosa.

Amin acrescentou que Deus está abalando as nações. "É hora do mundo árabe acordar para a mensagem do Evangelho. As pessoas estão na escuridão há tantos anos e agora existe uma luz no fim do túnel".

veja também