Egito prende "cérebro" de violência religiosa entre cristãos e muçulmanos

Egito prende "cérebro" de violência religiosa entre cristãos e muçulmanos

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2011 as 12:24

O "cérebro" da violência religiosa de sábado passado no Cairo, onde os confrontos entre cristãos e muçulmanos deixaram 12 mortos, foi detido, anunciaram as autoridades egípcias.

"O ministério do Interior prendeu o instigador das violências entre muçulmanos e cristãos em Imbaba", bairro popular do Cairo, afirma um comunicado oficial, que não revela a identidade da pessoa.

Segundo o balanço oficial, 12 pessoas morreram e 232 ficaram feridas nos incidentes que aconteceram ao redor de uma igreja copta, atacada por muçulmanos que acreditavam que no local estava uma cristã que desejava se converter ao islã.

Outras quatro pessoas envolvidas nos atos de violência foram detidas, elevando a 205 o número de presos.

Quase mil coptas permaneciam nesta terça-feira, pelo terceiro dia consecutivo, diante da sede da televisão estatal para protestar contra o "laxismo" das autoridades.

Diante de violência sectária, Ban Ki-moon pede unidade aos egípcios

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta quarta-feira a recente onda de violência registrada no Cairo entre muçulmanos e cristãos, o que deixou 12 mortos, e pediu "unidade" ao povo egípcio.

"É um momento crítico e o povo egípcio deve manter a unidade para alcançar suas aspirações de democracia. Confio que não deixarão que a violência sectária" faça descarrilar este processo, assinalou Ban, em entrevista coletiva em Genebra.

O secretário-geral disse que a comunidade internacional deve ajudar tanto o Egito como a Tunísia a completarem seus processos democráticos após as revoluções que levaram a cabo.

veja também