Ele não era Romeu, nem ela Julieta

Ele não era Romeu, nem ela Julieta

Atualizado: Terça-feira, 19 Novembro de 2013 as 2:25

Romeu e JulietaEra um romance ou uma paixão proibida, assim como a de Romeu e Julieta. Porém, o que proibia o romance de Romeu e Julieta eram as desavenças que haviam entre as famílias Capuletos e Montecchios. E o que proibia o relacionamento dos personagens que se encontram em João 8: 1-11 era que um deles, ou até mesmo os dois, eram casados.
 
Numa certa noite, enquanto Jesus orava, eles se envenenavam com o pior dos venenos: o pecado! E, depois de uma noite de escolhas mal feitas, a mulher é pega em flagrante adultério e levada à presença de Jesus (o homem não estava a fim de fazer o papel de “Romeu” e morrer junto com a sua “Julieta”, ele é um personagem oculto nessa história).
 
O veneno do pecado estava fazendo efeito rápido e a sentença dela seria a morte. Mas, se o veneno que a levaria a morte agia rápido, o antídoto age numa velocidade imensurável. E o escolhido para julgá-la é quem detém o antídoto: Jesus, o Rei de misericórdia!
 
Quando Jesus é questionado acerca do que deveriam fazer com a mulher, ele usa sem “dó” a misericórdia que faz as pedras afiadas caírem em terra e constrange o agravante do “veneno”, que eram as pessoas que lhe acusavam.
 
Diferente da história de Shakespeare, que é uma ficção, essa história é real e com um final diferente.
 
Ele não era Romeu, pois não a acompanhou acontecesse o que acontecesse. E nem ela Julieta, pois se livrou de duas mortes pelo poder absoluto da misericórdia.
 
E disse-lhe Jesus: “Vá e não se “envenene” mais!”
 
 
- Anderson Zanella
 

veja também