Em 15 anos Igreja Metodista pode ter 26 Regiões Eclesiásticas

Em 15 anos Igreja Metodista pode ter 26 Regiões Eclesiásticas

Atualizado: Terça-feira, 12 Julho de 2011 as 1:52

"Metodismo brasileiro

ao Brasil para mensagem da cruz

Metodismo brasileiro

o Brasil para Cristo Jesus"

  Cantando essas palavras o plenário do 19º Concílio Geral da Igreja Metodista comemorou calorosamente a aprovação de um novo projeto estratégico missionário para o Brasil. O texto aprovado por unanimidade, prevê que em 15 anos todos os Estados brasileiros se tornem, no mínimo, uma Região Eclesiástica. 

De baixo da orientação do Colégio Episcopal, as Regiões vão trabalhar em parceria em prol da expansão missionária. “Toda a Igreja estará envolvida na tarefa missionária de anunciar o Evangelho a todo povo brasileiro e abrir igrejas, se não em todo, pelo menos, em boa parte dos municípios. Estou extasiado com a aprovação desta proposta”, revela Ronan Boechat de Amorim, delegado da 1ª Região Eclesiástica.

A proposta estabelece algumas metas para o próximo período eclesiástico:

a. A 5ª e 4ª RE’s trabalhem em parceria para consolidar Minas Gerais como uma  Região Eclesiástica; b. A 2ª e 6ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado de Santa Catarina venha ser uma Região Eclesiástica; c. A 6ª e 5ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado do Mato Grosso do Sul venha ser uma Região Eclesiástica; d. A 3ª e 5ª RE’s trabalhem em parceria para promover a autonomia do interior de SP, levando-o a uma Região Eclesiástica; e. A 1ª e 4ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado do Espírito Santo venha ser uma Região Eclesiástica.

Discussão - Antes de levar a proposta ao plenário, o texto foi discutido e aprimorado em reunião pelos líderes de todas as delegações. De acordo com o delegado da 5ª Região Eclesiástica, Rev. Nicanor Lopes, em todo o tempo houve generosidade, respeito e parceria. “Foi perfeito, em clima de cooperação. Aprovamos uma estratégia arrojada, de ajuda mútua entre as Regiões. É hora de parar de olhar para o retrovisor, temos de olhar para o para-brisa – para frente!”, declara.

Um dos destaques da proposta aprovada é a criação de Superintendentes Missionários que coordenarão as Regiões Missionárias, criadas a partir de agora. Aprovou-se, como parte da proposta, que nos próximos 5 anos o Colégio Episcopal e a Cogeam apresentem ao 20ª Concílio Geral, em 2016, uma proposta para governo da Igreja tendo em vista que o plano missionário propõe a criação de, pelo menos, 26 Regiões Eclesiásticas. Cada uma delas, possivelmente, presididas por um Bispo.

Ananias Lúcio da Silva, da 1ª Região Eclesiástica, afirma que a aprovação é um marco para a vida da Igreja. “Foi um presente para toda a igreja, pois além de quebrar os paradigmas que impedem a igreja de trabalhar, proporcionou um momento de unidade da Igreja Metodista no Brasil", afirma.

Delegados de todas as Regiões Eclesiásticas se posicionaram a favor da aprovação. De acordo com depoimentos em plenário, a Igreja Metodista passará nos próximos anos por um período revolucionário.

“A gente superou a velha concepção das Regiões Eclesiásticas como sendo uma espécie de ‘feudo’, onde elas trabalhavam sozinhas e isoladas. Conseguimos aprovar esta proposta onde derruba-se todas as fronteiras através da possibilidade de parcerias missionárias. Não criamos apenas a possibilidade, mas decidimos que o trabalho em parceria é o nosso futuro e a vontade de Deus para nós”, argumenta Ronan Boechat.    

veja também