Em Chicago teólogos debatem sobre o universalismo pregado por Rob Bell

Em Chicago teólogos debatem sobre o universalismo pregado por Rob Bell

Atualizado: Terça-feira, 19 Abril de 2011 as 8:51

Teólogos reformados se reúnem em Chicago em uma conferência para debater o universalismo. A conversa aconteceu na quinta-feira, foi seguida por um painel de discussão sobre o recém-lançado “Love Wins” (O amor vence): Um livro sobre céu, inferno, e o destino de cada pessoa que já viveu. Nele, Rob Bell, que é pastor da Mars Hill Bible Church, em Grandville, Michigan, combate a noção de pessoas sendo torturadas no inferno por toda a eternidade.

Para o professor da pesquisa do Novo Testamento na Trinity Evangelical Divinity School em Deerfield, Ilinóis, Don Carson, essa visão universalista está diminuindo a santidade de Deus, banalizando a cruz e distorcendo as verdades bíblicas.

“Sim, Deus é amor, mas a Bíblia fala do amor de Deus de formas diferentes e o que os universalistas fazem é absolutizar um aspecto dele – a saber, que Deus ama a todos da mesma maneira”, disse Carson.

Juntamente com Carson em um curto painel de discussão, o pastor da Geórgia, Crawford Loritts descreve as tentativas de escolher os atributos únicos de Deus como Deus prostituto. “Deus não precisa de um publicitário ou um agente ou uma empresa de relações públicas,” acrescentou. “Deus não está sentado em torno imaginando se pessoas gostam dele.”

O renomado teólogo Tim Keller também rejeitou as tentativas de elevar um atributo de Deus sobre o outro. “Na cruz, todos os atributos de Deus vencem,” ressaltou.

Em última análise, reduzir a ira de Deus afeta os pontos de vista sobre a expiação e a santidade. “Não acho que você vê o espetacular amor de Deus até ver a espetacular santidade de Deus. Se você diminuir um, inevitavelmente diminuirá o outro,” enfatizou Carson.

O debate aconteceu entre os dias 12 e 14 de abril e antes de enviar os pastores de volta a suas Igrejas locais e seminários, Carson deixou claro que os riscos são altos quando se trata de obter o direito sobre a salvação, céu e inferno, porque uma que vez a decisão é feita nesta vida, as consequências são eternas.

“O inferno não está cheio de pessoas que querem sair. Eles não querem estar lá. Mas não acho que há uma sugestão bíblica de que as pessoas se arrependem no inferno,” afirmou. “Conhecemos a única solução para isso: O Evangelho de Jesus Cristo.”

veja também