Em encontro com evangélicos, Dilma diz ser "a favor da vida"

Em encontro com evangélicos, Dilma diz ser "a favor da vida"

Atualizado: Segunda-feira, 26 Julho de 2010 as 10:12

Sob o lembrete "espalhados, somos poucos; unidos, somos milhões" destacado em uma faixa no alto da sede nacional da Assembleia de Deus no Brasil, em Brasília, a candidata petista à presidência da República, Dilma Rousseff, recebeu o apoio de lideranças evangélicas de 15 igrejas. Ao ler seu discurso intercalado de citações bíblicas, Dilma disse, com breves palavras, ser "a favor da vida". "Eu sou a favor da vida, em todas as suas dimensões e sentidos. Sou a favor da preservação da vida", afirmou. Em entrevistas concedidas ao longo da semana, a petista disse considerar o aborto uma questão de saúde pública, mas não se posicionou a favor da descriminalização, citando apenas os casos já previstos em lei. Antes do discurso da candidata, o pastor Manoel Ferreira (PR-RJ), coordenador do movimento evangélico da campanha do PT, defendeu que assuntos polêmicos, como a questão do aborto, devem ser tratados pelo Congresso Nacional e não pelo Executivo. Sua fala foi apoiada pelo candidato a vice de Dilma, Michel Temer (PMDB). Segundo ele, as questões passarão primeiro pelo Congresso e as ponderações da comunidade evangélica "certamente serão levadas em conta". Multiplicação dos pães

Uma das passagens bíblicas citadas pela candidata foi sobre a multiplicação de pães realizada por Jesus. Dilma usou a citação para falar da desigualdade no País. E disse que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aprendeu a realizar o impossível, que "é aquilo que a fé humana ainda não tornou possível". "A pobreza não é o resultado do destino. Não foi a mão de Deus que construiu um país tão desigual, foi a mão imperfeita dos homens e das mulheres. Isso é o que acontece quando nos afastamos dos desígnios de Deus", disse Dilma. "Os nossos caminhos estão vinculados ao mesmo projeto de fé em Deus e crença no Brasil e na mudança que começamos com o presidente Lula e vamos prosseguir", acrescentou. Em outra citação, Dilma disse que "o choro pode durar toda uma noite, mas a gente sabe que a alegria vem pela manhã" e conclamou os evangélicos: "vamos construir juntos a alegria que chega pela manhã". Ao entrar no local do evento, Dilma foi alvo de um protesto contra a sua candidatura. Uma faixa com a frase "Apoiar a Dilma é negar a Bíblia" foi aberta por dois homens que gritaram: "ela apoia o aborto e o casamento gay" e "esse evento não representa toda a comunidade evangélica".

veja também