Em entrevista, Carol Celico fala maternidade

Em entrevista, Carol Celico fala maternidade

Atualizado: Sexta-feira, 6 Maio de 2011 as 12:10

Antes de nascer a menina Isabella já demonstrava que puxou ao pai, Kaká, 29 anos, meio campista do Real Madrid. ''Ela não para de chutar, fica se mexendo o tempo todo. Luca (primeiro filho do casal que completa 3 anos em junho) era mais tranquilo'', disse a cantora gospel Carol Celico, 23, na época no nono mês de gravidez. O bebê de pernas fortes nasceu dia 23 de abril, em São Paulo.

Em março, mãe e filho viajaram de Madri, onde moram com Kaká, para a capital paulista. O casal tem um apartamento na zona sul de São Paulo e Carol, nascida e criada na cidade, quis ter o apoio da família para receber Isabella. A cantora planeja ficar com os filhos na cidade até agosto.

A mulher fica muito sensível na gravidez. Como faz para superar a distância de Kaká? É verdade, a gente sempre fica mesmo mais sensível na gravidez. Mas os últimos preparativos são tão intensos... Achei ótimo poder vir a São Paulo cuidar disso enquanto Kaká se dedica aos jogos. Eu fico é mais com dó do Luca. Meu marido e ele sentem muita falta um do outro: eles gostam de correr, de jogar, lutar, bagunçar, aquelas brincadeiras de homem, sabe? Luca até tenta fazer comigo, mas não dá, né? (diz, alisando a barriga)

Como está acontecendo essa relação à distância? A gente conversa muito por telefone e trocamos várias mensagens por SMS. Ainda não está certo que ele será liberado para ver o parto, mas, em junho, no primeiro dia das férias dele, vai estar a meu lado.

Mas não vai sentir falta dele na época do nascimento? Sim, mas as últimas duas semanas da gravidez e o primeiro mês da criança são muito intensos. É uma relação muito entre mãe e filho, não sinto espaço para mais ninguém. Nessa fase, não há como dar atenção ao marido. Tem aquela coisa também: o nenê chora, aí o marido vai cansado ao trabalho no dia seguinte... Então vai ser bom. Kaká chegará em São Paulo num momento em que a casa, a rotininha do bebê estará mais estabilizada.

Luca não está com ciúme? Meu filho tem uma personalidade muito carinhosa. Agora, ele beija a minha barriga, abraça, diz que vai ensinar a ela a música do Barney, vai apresentar o Mickey, a Minnie. Dia desses, fomos a uma loja e ele quis comprar para o bebê um pato de banho igual ao dele, que adora. Só que na cor rosa. Então, por enquanto, Luca está muito bem. Pode ser que, depois do nascimento da Isabella, ele estranhe toda a atenção que um recém-nascido requer. Nesta semana, por exemplo, Luca disse que está cansado de dizer que a irmã vai se chamar Isabella. Todo lugar que a gente vai, as pessoas perguntam para ele (risos). Mas é ciúme normal e a gente vai resolver isso.

Por que vocês escolheram o nome Isabella? Foi uma escolha que nós três fizemos. A gente estava em dúvida entre Natalie, Isabella e Júlia. Gostamos do "bela", porque toda a menina quer ser princesa, linda. E tem o significado do nome que é "prometida de Deus". Isabella veio meio na supresa e temos certeza de que ela vai inaugurar um tempo diferente na nossa vida, como o Luca inaugurou.

A nenê não foi planejada? A gente queria, mas não imaginava que viria tão rápido. Levei mais de seis meses para engravidar do Luca e com ela foi logo depois que decidimos tentar ter um novo filho. Meu período é irregular. No início, Kaká e eu percebemos que minhas formas haviam mudado: meu quadril alargou, comecei a ver a linha na barriga mais escura. Então, fiz um exame de farmácia que deu negativo. Demorei um mês e meio para descobrir minha gravidez.

Na gravidez, Kaká teve de correr atrás de algum desejo? Tive vontade de comer pratos especiais, como musse de maracujá com chocolate, linguado ao molho branco. Gosto de cozinhar e até postei as receitas no blog. No Brasil, minha boca encheu de água quando me lembrei da comida do meu colégio (Carol estudou numa escola inglesa nos Jardins, em período integral). Antes de ter Isabella, quero voltar lá para comer no bandeijão (risos).

Qual o momento mais emocionante desta gravidez? Chorei quando vi que era menina. Outro menino também seria bem-vindo, mas sempre planejei primeiro ter um menino e depois uma menina. Deve ter recebido vários mimos... (Risos) Não... Minha mãe deu o primeiro brinquinho, de coração. Reaproveitei o bercinho do Luca e as roupas brancas.

Você e Kaká pretendem dar um segundo irmão pra Isabella? Quando estiverem mais grandinhos, independentes, comerem sozinhos, pretendemos ter um terceiro filho.  

veja também