Em visita ao Brasil, pastor americano realiza cultos nas cadeias de Manaus

Chris Overstreet, pastor da Bethel Church, em Redding, na Califórnia, viaja pelo mundo levando novas pessoas a conhecerem o Evangelho.

Fonte: Guiame, com informações de G1Atualizado: terça-feira, 19 de abril de 2016 11:42
Cerca de 50 pessoas, entre detentos e familiares, participaram do culto. (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)
Cerca de 50 pessoas, entre detentos e familiares, participaram do culto. (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)

Durante passagem pelo Brasil, um pastor americano visitou dois presídios em Manaus, capital do Amazonas, onde conduziu cultos junto aos detentos e familiares neste domingo (17).

Chris Overstreet, pastor da Bethel Church, em Redding, na Califórnia, viaja pelo mundo levando novas pessoas a conhecerem o Evangelho. No Brasil, ele visitou a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital e o Centro de Detenção Privisório de Manaus (CDPM).

Cerca de 50 pessoas, entre detentos e familiares, participaram do culto conduzido pelo americano na capela do centro prisional. Durante a pregação, Chris ressaltou aos detentos que os erros cometidos não podem ser maiores que o perdão de Deus.

"Deus foi pregado em uma cruz sangrenta por amor à nós. Deus ama cada uma dessas pessoas que estão aqui e elas podem ser tocadas pelo poder dele. Somente dessa maneira elas poderão se tornar mais próximas de Deus, e assim serem pessoas melhores", afirmou.

Durante a reunião, pessoas tiveram espaço para relatar seus testemunhos de vida. Em outro momento, alguns detentos cantaram e tocaram canções, e o pastor Chris se juntou a eles.


Detentos cantaram canções evangélicas durante culto (Foto: Rickardo Marques/G1 AM) 

Um dos internos, que cumpre pena por roubo majorado, conta que os cultos auxiliam a manter um clima tranquilo entre os detentos. "A gente só recebe visita durante o fim de semana. Muitas vezes a situação aqui é tensa demais e fica um clima estranho. Uma boa parte do pessoal acaba vindo quando tem culto e isso é bom", disse ele ao G1.

Para a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), os trabalhos realizados por entidades religiosas são bem-vindos e auxiliam na ressocialização dos detentos.

"A intenção da secretaria é humanizar o sistema. É o que ele necessita enquanto homem encarcerado e que o estado tem obrigação de dar, que é assistência jurídica, médica, psicossocial e espiritual. Estamos realizando cultos para que ele tenha certeza de que possa ser humanizado e reintegrado na sociedade", concluiu.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições