Emissora emitiu comunicado afirmando que teria sido vítima de um "ataque criminoso" de concorrentes

Emissora de Edir Macedo teria sido vítima de um "ataque"

Atualizado: Sexta-feira, 17 Fevereiro de 2012 as 1:39

A Rede Record emitiu um comunicado na manhã desta sexta-feira (17/2) desmentindo o fim de seu portal R7 e do canal pago Record News. A informação foi publicada inicialmente pelo site AdNews e se espalhou entre os usuários, que apoiavam ou lamentavam o suposto encerramento das atividades dos canais de comunicação.
No comunicado oficial a emissora alega ter sido “vítima de mais um ataque criminoso contra as suas atividades empresariais”. Diz a nota: "O ataque foi divulgado sem identificar qualquer fonte de informação pelo site Adnews, na mesma semana em que a empresa anunciou que se tornava parceira do portal UOL, um dos concorrentes do R7".
Através de seu perfil no Twitter, Antonio Guerreiro, diretor geral do portal R7, ironizou o boato, mencionando Leonardo Pereira,  jornalista que redigiu a nota do AdNews: “A quem quiser escrever ficção, sugiro tentar teledramaturgia. Podem enviar cvs ao Recnov” [complexo de estúdios que cuida da produção de novelas da emissora]. Já a jornalista Rosana Hermann, que também faz parte da emissora,não poupou comentários a respeito do boato. “"Elvis não morreu", Ponta (sic) AdNewz”, inserindo em seguida a hashtag “#jornalendas”. 
No comunicado oficial a empresa fez questão de citar seus “excelentes resultados em menos de três anos de atividades” do portal R7, assim como dados a respeito do canal Record News que, “apesar de sofrer boicotes” de provedoras de televisão a cabo, continuará no ar normalmente com sua programação. 
O Grupo Record informa ainda que tomará medidas judiciais "contra estes ataques", que podem trazer prejuízos às suas atividades.

 

Com informações do IDG Now

veja também