Empresária comemora sucesso de livraria evangélica

Empresária comemora sucesso de livraria evangélica

Atualizado: Segunda-feira, 6 Dezembro de 2010 as 2

Shekinah significa ‘Deus está nesse lugar’. O termo foi tirado da Bíblia e usado para batizar a livraria herdada por Lílian da Silva Coelho Oliveira, 24 anos. Não se trata, porém, de uma herança de família, embora a autora do benefício, Roberta Prado, seja considerada uma verdadeira irmã pela beneficiada.

As duas se conheceram em Rubiataba, a 60 km de Itapuranga. “Eu fui para lá por causa do meu casamento”, diz Lílian. O marido, Kleber de Oliveira, 30, torneiro mecânico, tinha contrato assinado com uma usina de álcool e açúcar da região. A igreja evangélica foi o ponto de encontro das amigas.

Depois de um ano e dois meses, Kleber e Lílian voltaram para Itapuranga e se envolveram com a abertura da Torneadora e Mecânica do Vale. Lílian foi trabalhar no departamento financeiro de uma loja. Eles venderam moto e carro para comprar o torno e se ocuparam da construção da casa própria. Roberta, por sua vez, inaugurou a Shekinah.

Lílian visitou a livraria e ficou com vontade de abrir uma igual na sua cidade. “Boa parte da população de Itapuranga é evangélica”, afirma. Como não tinha dinheiro para investir, ela acreditou que acalentava um sonho distante.

Uma ligação de Roberta, em julho, virou suas convicções de cabeça pra baixo. “Ela perguntou se eu queria ficar com a loja”, surpreende-se Lílian, ainda hoje. Roberta decidiu partir em viagens missionárias e não teria como cuidar do negócio, que ofereceu, de mão beijada, para a amiga aturdida e sem um tostão sobrando no bolso.

Passado o susto, Lílian foi para Rubiataba e limpou o interior da loja. “Peguei até o filtro e os tapetes”, diz, rindo. Acumulou tudo em dois cômodos da casa. “Os móveis foram parar na varanda.” Correu para alugar uma sala, pediu demissão do emprego numa quinta-feira, atordoando, por sua vez, os colegas, e reinaugurou a Shekinah no sábado.

”Um anjo em perfeito estado de graça”, como ressalta Lílian, a amiga Roberta colaborou na etiquetagem, nas primeiras compras, transmitiu lições práticas, visitou o contador e voou para fazer o bem em outros endereços. “Ela está pelo mundo”, diz Lílian, que estipulou para si mesma o compromisso de pagar o dobro do valor da loja para a amiga. “Já paguei a metade.”

Junto com uma empregada, Lílian vende, além dos livros, vários artigos para presente, chaveiros, camisetas da marca da Paz, CD, DVD, itens para crianças, óleo de unção, gravatas, cartões, quadros. Tudo com orientação religiosa. “Tenho reposto as mercadorias por quinzena”, alegra-se.

Uma súbita marretada no punho de Kleber gerou a conseqüência de uma cirurgia em caráter de urgência, o que pode precipitar os planos de expansão da família. “Estamos pensando em fechar a torneadora e abrir uma loja de roupas e calçados.”

Com a perseverança de quem lida com finanças e enfrenta os apuros costumeiros do mercado desde os 14 anos, Lílian mistura a vontade de sonhar alto com a necessidade de manter os pés no chão. A convivência com a vizinha Jucélia, segundo ela, é um excelente fator de equilíbrio e, ao mesmo tempo, um incentivo ao desejo de grandeza.

Para comemorar a passagem da condição de Empreendedor Individual para Microempresa, Lílian e a amiga Jucélia Rosa Teixeira, da loja Musical D’Helios, convidaram a cantora gospel Rosângela de Godoy para uma apresentação, dia 22 de dezembro, no centro de Itapuranga. Dispostas a compartilhar a alegria, elas fecham a Rua João do Couto Rosa, com permissão da prefeitura, a partir das 16 horas e distribuem brindes aos participantes do encontro, que tem pula-pula e algodão doce para as crianças. Tudo de graça. Os brindes foram cedidos pelos comerciantes da região.  

veja também